Sejam bem vindos ao meu Blog

"O Artista se eleva pelo prazer da beleza dentro de sua criação."

Minha origem

Sei que amo. Conheço minha origem, respeito a mim mesma, tenho consciência da miscigenação e da minha cidadania.

Bahia de Todos os Santos

Moro na Bahia de Todos os Santos, abençoada por 365 igrejas, um legado deixado pelos Portugueses. No sincretismo religioso, o abraço com todas as religiões.Um povo que vibra sem intolerância religiosa.Tenho fé e amo meu povo!

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Somos Todos Africa

Ó tu Africa, terra mil vezes querida
Um dia levaram uns africanos
Eis, minha bisavó, meu bisavô
Era Maria Rosa , pai João Araújo

Corre o sangue em mim dos meus queridos
Esta morada de cores me fortalece
De feitos de valentia, templo de vitórias
Dos guerreiros, merecedores de horarias

Então sempre levantarei os olhos
Para os céus em pensamentos
Cantarolando a canção " Mama Africa"
Vibrando em mim com gratidão

Aqui sua bisneta se envaidece
Aqui converte em puro amor
Mãe Joda, como eu chamava minha bisavó
Tenho consciência da minha miscigenação.

Varenka de Fátima Araújo

Salvador - Bahia - Brasil

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Antologia de Natal - Portal CEN - CÁ ESTAMOS NÓS

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Carta para Papai Noel.




Eu era uma criança normal: eu gostava de brincar com outras crianças,   gostava de bolinhos salgados,   esperava o natal,  só para ganhar presentes.  Antes tinha a ceia,  arroz temperado,  galinha,  uma salada de verduras,  o peru nunca foi para nossa mesa.
Meu pai com sua voz empostada, contava histórias para fazer dormir.   Na noite de Natal, ao deitar o sol, meu pai contava várias histórias, nada do sono nos vencer,  minha mãe vinha de mansinho: "Vamos crianças durmam, o Papai Noel vai deixar embaixo de suas redes, presentes".  A infância é um pedaço adormecido,  o resto foi modificado com a industria.
Lembro-me que era muito curiosa,  queria saber quem era e abraçar o Papai Noel.
E, minha mãe falava baixinho,  vão dormir,  criança dorme cedo,  o bom velhinho vai fazer uma boa surpresa.
Eu não aceitava, desconfiava, ficava de olhos abertos, recomenda para minha irmã Hermengarda ficar acordada, caso eu dormisse para finalmente conhecer e, receber o nosso presente do velhinho que amava crianças.
Meu pai esperava que o sono nos vencesse, colocava os humildes presentes,  geralmente bonecas,  cada boneca tinha seu brilho.
A realidade só foi descortinada ao ficar uma mocinha,  minha mãe revelou em poucas palavras que o Papai Noel,  era,  sempre foi o nosso pai Francisco das Chagas.
Hoje, esta magia foi apagada com a industria, como sempre lucrando, colocando nas lojas, homens de cabelos,  barbas brancas, vestidos de vermelho, como a CocaCola gosta para venderem, ficarem com uma boa fatia do dinheiro do decimo terceiro.Um pedido maior que que aumente o ordena do povo do Brasil

Varenka de Fátima Araújo

domingo, 27 de novembro de 2016

Frase

Esperar um amigo é como ver o nascimento de uma flor.

domingo, 13 de novembro de 2016

Dra Maria Auxiliadora Robatto

Carregada de dor ando pelo mundo
Este peito que bate descompensado
Já ferido de tanta labutas
Essa dor me persegue
Ela com gesto feminil
Sorrindo, disse:
E a face dos que vivem longamente
Desculpa, vai tirando o que te faz mal
Comece a mudança devagarinho
Tudo tem um alinhavo
E, com suas mãos firmes de cirurgiã
Começa os procedimentos com precisão
Vai auxiliando como manda sua destreza
Ela tem uma bondade para com todos
Ela tem o poder de salvar vidas
Como Maria Auxiliadora.

Varenka de Fátima Araújo







terça-feira, 8 de novembro de 2016


Salvador, 08 de novembro de 2016

Ao meu prezado amigo Perinho Santana,
Estou antecipando o convite para breve ter a honra em ser a madrinha, já firmada com uma poesia minha na parede da CASA DOS POETAS. Esse espaço canta em várias artes, paredes emolduradas por suas pinturas, letras em contornos de poesias.
Fiquei embevecida de contentamento diante das fotos enviadas nesta manhã por sua esposa Soraya Souza, constatei a minha poesia na marca das cores esboçadas por suas mãos. A própria força das suas idéias, mostra o quanto você é destemido, seus traços tem esta magnitude. Lembro-me da sua luta para conseguir manter este espaço com seus recursos.
Madrinha, uma palavra que tem peso, aceitei na esperança que Plataforma, fique eternizada com a sua e, que será A CASA DOS POETAS.
A minha admiração pelo pintor e poeta.
Gratidão amigo.
Varenka De Fátima Araújo

Dr. Danilo

A voz modesta do jovem promissor
Os olhos lípidos penetrantes, divinal
Despido de sofisticação e vaidade
A minha dor cessa por um momento
Descortinando a bondade de suas mãos
Que machucam, apertam, cortam com precisão
Que fazem sarar os males por nos consumidos
Abismada com o seu juramento
Danilo, o dentista da clinica "Vamos Sorrir"
Com o seu sorriso afaga meu sorriso.

Varenka de Fátima Araújo

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Homenagem a Mario Benedetti



Ardor de uma mente sábia
O sol mergulha em tudo com suas palavras
Como um rio tortuoso e imenso, foi a sua vida
E, no averso do verso e, prosa gritou
Aquele que com um brado de liberdade
Foi o motivo de perseguição, com dor no exílio
Como logo o mal não consiste, ou não persiste
Como logo o mal foi vencido com seus 80 livros
Dizem, que era um guerreiro em todo o momento
Outros queriam ver seu corpo inerte
Nada disto, sua ferramenta foram palavras
Um homem sem armas, seu arco foi feito com livros
E este, foi o homem de Uruguay, que foi um vencedor.

Varenka de Fátima Araújo

Salvador - Bahia - Brasil

O cavalo Marrom Claro

O dia estava com um sol forte, ensolarado muito bom para passear. No caminho me deparei com os cavalos, uns são bons domesticados, outros servem de transporte. Mas, todo cuidado, não devemos dar  às costas, ele pode traiçoeiramente dar uma patada. Levei uma que ficou a marca do casco e um hematoma por muitos dias.

Varenka de Fátima Araújo.

terça-feira, 18 de outubro de 2016

revista Poemas do Brasil


Boa tarde!
A edição 009 da revista POEMAS DO BRASIL está no ar!

www.poemasdobrasil.com.br
Revista Poemas do Brasil - Ylvange Tavares
A noite traz na sua calma O fantasma que devora o tempo.O tempo traz no seu silêncio A utopia que aos poucos me devora Esses dois me apavoram.
poemasdobrasil.com.br

Caminhando, meu Brasil

Esquerda, direita vou ver,
um círculo que não muda,
não ouviram o grito
dos que andam na margem,
a crença de um peito aberto,
o sol não brilha, não difunde raios,
o povo dividido não brada.
A mais e mais, alegria aumenta
comemoram a sorte de uns poucos
marcando somente os seus pares.
E o brado de avante
não soa nas terras abundantes
não penetra nas montanhas verdejantes.
Que os filhos da Pátria fiquem unidos.

Varenka De Fátima Araújo

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Galeria Nilda Spencer.

Na época que eu estudei na Escola de Teatro-UFBA, tive excelentes professores, tinha Nilda Spencer professora de dicção, uma pequena notável ! Uma mulher bondosa, vivia sorrindo sempre pronta para ajudar. Nilda, Nilda havia muitas luz em seu nome, sua voz era melodiosa, foi uma simpatia mútua, foi um amor de madrinha para comigo. Muitas vezes repetia os exercícios de articulação para soltar minha voz. Ela foi a melhor atriz que conheci em todos os tempos, fizemos uma aparição no "Pagador de Promessas", eu ficava orgulhosa por estar ao seu lado.
 Ela tinha muito cuidado com meu filho, mandava presente,eu deveria ter dado para ser madrinha, pensei em Nilda, o acaso foi para outra que meu filho não reconheceu como madrinha.
Nilda nunca falava da sua vida, ela só tinha interesse em ajudar os outros, doou muitas roupas para meu trabalho como figurinista. Tinha uma vasta experiência no teatro, foi diretora por duas vezes da Escola de Teatro, tinha uma paixão em representar, fazia com perfeição. Ela nunca parava, estava sempre em movimento e nos gratificava com sorrisos e, amabilidades. Esta placa com seu nome, espero que seja para sempre. Eu guardo seu retrato com carinho, minha benfeitora.

quinta-feira, 13 de outubro de 2016

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Chuvas de palmas para Jacqueline Aisenman fundadora do Varal do Brasil

Para os poetas, escritores que celebram o dia do Varal do Brasil
Para este dons tem Jacqueline Aisenman
Porque deu a revista vinda longa
Um elmo feito ao redor do mundo
Com diamantes que fazem cravejados
Disparando raios de luzes por vários lugares
Que completam uma missão
Que parte e partiu de nós nesta viagem
Ei-la visível sempre de capa nova
Eu também saúdo o bendito dia que chegou para mim
Fico extasiada com tanta harmonia
Vai do meu cantinho chuvas de salvas!!!!

Lamento muito, Jacqueline, tocava diretamente cada um de nós.Mas, não pode continuar com este projeto, os motivos foram bem esclarecedores. Esperançosa quero ler suas palavras precisas, por vezes são monólogos interiores, fico na certeza que é preciso continuar. Mil beijos amiga.

Varenka de Fátima Araújo

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

O Urubu

Gosto dos urubus
fazendo voos no céu
a negritude em contraste
seguem a corrente de ar
se comparam com humanos
são tratantes, maus em atitudes
sempre julgando os asquerosos
viva o urubu que come, limpa
lá no céu beijam às nuvens
veja na terra o vício entorpecidos
enquanto eles cingem coroas
que viagem sentem meus olhos.

Varenka de Fátima Araújo


quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Livro de Nilvano Andrade

Piano de outono
Dedicado a Nildete Alves de Andrade

Se o si bemol
Voltasse a tocar
Nas tardes de primavera
Daria corda à caixa de música,
Onde dorme a bailarina de seda,
Dobrada sobre as notas mágicas
Do piano de de outono

Quando sem o dó,
O sustenido se perder
Pour Elise num Clair de lune
Sem Tristesse
Voltaremos ao Piano de Outubro,
Nas tardes de primavera,
Num chão de estrelas
Do universo distante
Onde você foi buscar
A minha vida.

Dr. Nilvano Andrade




Dr. Nilvano Andrade

Ó Dr Nilvano Andrade
A teus pés tens uma paciente
Que vencida por amor, pelos seus gestos bondosos
És o condutor da fraternidade por teus irmãos
Há um fascínio no teu olhar
Que suaviza as angustias dos enfermos
A lista de proibições não me afetam
Quero ouvir os sons e, a tua voz branda
Homem aterrado na cura dos outros
Fizeste três proezas para imortalidade
Escreveste o livro; "Olhos de Prata"
Entre outros para  Medicina
Plantaste uma árvore
Tiveste um filho e, um neto
Caridade! este teu nome revela em uma placa
Unidade Otorrinolaringologista  Dr. Nilvano Andrade
No Hospital Santa Isabel
E, que os sons sejam inspiradores, Dr. Nilvano

Varenka de Fátima Araújo

domingo, 2 de outubro de 2016

Para Vítor Jara - Chile

Para Vítor Jara

Desculpa, com toda paciência
Minhas palavras que alinhavo
Como sua irmã Antígona no teatro
Setembro, cavaram sua morte
Eu, cubro seu corpo com meus rabiscos
Meu herói, foi morto 44 vezes
Por outro homem que odiava
Não pronunciou uma palavra, o covarde
Queria calar o Vítor Jara
Seu proposito não foi consumado
A voz mais potente e, harmoniosa
Com seu grito, continua soando
Com clamor o cantor do Chile
Aos altos das montanhas subiram
Entoando cantos de amor
Em sua mente tinha um pensamento só
Libertar cinco mil homens
Tinha o mais nobre sentimento
Um artista completo por todo tempo
Carecemos de ouvir sua voz
Em suas poesias, no seu canto e, no teatro
Sensível, sofria o poeta enclausurado
E, no seu coração uma imensa fraternidade
Onde habitava o amor ao próximo
Enchendo o peito sua voz propagava
Eu sei, seus cânticos não temiam
Eu sei, que profetizou sua morte
Até o último instante, escreveu uma poesia
Ficando no tempo para toda eternidade.

Varenka de Fátima Araújo

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Sonale Barbosa de NYC manda texto e, eu mando estas poucas linhas.






E hj eu estaria completando 9 anos de namoro, mas decidi ser feliz.
Há exatamente 9 anos atrás eu estava conhecendo o meu primeiro e único namorado. Aquele que me fez mais triste do que feliz, aquele que mais me magoou do que me fez bem.
"Ah, nossa, mas se vc fala eh pq ainda lembra!"
Logico, preciso lembrar o qto fui trouxa pra não ser de novo.
Esses dias me mandaram uma msg dizendo "queria ser q nem vc, vc não precisa de homem"!
Oi? Hahah qm disse? Solteira sim, sozinha nunca.
O que eu não preciso eh de um homem otário que nunca tinha dinheiro pra ir ao cinema comigo, mas que sempre tinha pra ir ver jogo. O que eu não preciso eh de um babaca que me traia com a primeira vagabunda que apareça pq estamos passando por uma crise. O que não preciso eh de um cara que não sabe o que quer da vida. O q não preciso eh de um cara que ache que jamais serei feliz sem ele. O que não preciso e criar nos, e sim criar laços. O que não preciso eh de alguém que não faca questão de ficar comigo. O que não preciso eh de alguém que não valorize minha presença. O que não preciso eh de alguém que soh se importe com nudes e não leia minhas cartas. O que não preciso eh de alguém que soh me julgue e não me apoie.
Então se você tem alguém assim que te faz mais mal do que bem, desapega. Eh melhor sofrer por uns dias do que pra sempre.
Estou há quase 5 anos solteira, já foram 4 carnavais em Salvador e duas viagens pra NYC. Nada mal, não eh mesmo?
Agora, se você tem alguem que queira crescer junto e não barre seus sonhos, agarre com forca.
Eu to na fase em que parti pro meu sonho sozinha e aguardo alguém pra me levar nesse passeio de barco.


Sonale Barbosa




Um desabafo de minha prima, tão parecido com uma fase da minha vida.
Onde vc está, espero que encontre um grande amor. Beijos no coração.
RESPOSTA.
Eu, bem que desconfiava, estive com vc uma única vez prima, percebi que era muito bonita, franca, honesta. E, que estava descobrindo o mundo, vc esteve numa prisão durante 9 anos, muito mais do que eu, vc viveu com sofrimento, prima. Não existe homem santa nem no céu, nem procure nos grãos de areias da terra, um corno doí como uma ferida aberta, espera que sara, perdoe para se libertar. Olha, que todas rainhas foram traídas, só ELISABETH I da Inglaterra que não recebeu um corno, ela nunca casou, para ser soberana, desta desfeita não padeceu.
Sonale Barbosa, seu nome é de rainha, mande em seus súditos, seja uma companheira do seu futuro rei, ame despudoradamente.
Aproveite cada momento do dia, faça o que gosta, o preço de viver uma vida como vc deseja, depende da sua mente.
Seu texto tem um endereço, espero que chego no destino certo.
Como o correio cobra uma fortuna por cada selo, comovida mando estas poucas linhas.
Com um abraça da prima.
Varenka De Fátima Araújo.

quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Saborosa

Um rosto que se parece com milhões de pessoas, misturado em mundo de desigualdade.
Saborosa, o nome foi dado por gostar da bebida saborosa, era um homem alto, pele tostada pelo sol, cabelos em crespo, o rosto inchado pelo consumo da bebida, os olhos quase fechados de tanto inchaço. Sua habitação era feita de papelões, plásticos, placas de ferro velho, fixado atrás do Hospital Sagrada Família, sua vestimenta sempre trocava, vezes estava em volta da bandeira do vitória,ou, por cima da roupa um saco como um manto. Era uma figura que a vizinhaça ajudava.
Quando tinha jogo do Vitória, cantava: "Vitória, Vitória, mostra o teu valor
                                                                  No campo da luta tu és o melhor
                                                                  O teu pavilhão tem feitos de glória
                                                                  Vitória, Vitória, tu tens grande história

                                                                  Somos torcedores de grande valor
                                                                  Somo rubro-negros não temos temor
                                                                  Estamos contigo em qualquer lugar
                                                                 Pois temos conquistas na terra e no mar
E, haja refrão, era novo podia ter tido outro destino mas, estava traçado em sua vida.
A molecada: E, aí Saborosa o seu Vitória vai perder.
Saborosa cantava o refrão do Hino da do Vitória. Era  engraçada, não xingava, só pedia cachaça.
Descia e, subia a colina do Senhor do Bonfim com uma bandeira do Vitória. Só atendia pelo apelido de Saborosa, sua boca só pedia uma saborosa.
Sumiu Saborosa, todos procuravam, certo dia uma notícia no jornal:" Saborosa pediu um gole se saborosa e, veio a falecer no hospital".
Em todo o mundo sempre existiu e, existirá, Saborosa, Pitu, Aguardente, Cachaça 51.
A bebida é uma droga que destrói a humanidade.


segunda-feira, 26 de setembro de 2016

José Galdino

José Galdino sem identidade no meio da feira, naquela época não tinha tanto valor. Um homem era reconhecido por seus dotes e,  sua personalidade valente.
Não se sabe de onde veio e,  de que linhagem, ou, ascendente pertencia.  Uma foto amarrotada pelo tempo,  tinha traços de fidalgo,  pertencia a raça branca,  talvez,  seus antepassados fossem portugueses,  ou,  franceses,  pois aquela região foi colonizada por franceses.
José casou-se com Maria do Espirito Santos,  uma mulher tipicamente de traços exóticos, próprio das brasileiras,  todo ano tinham um filho,  Maria engravidava amamentando,  uns morriam no hora do parto,  outros por inanição,  somando foram 16,  conseguiram sobreviver 6 filhos.  O casal era pobre de Jó,  o mundo sempre foi de quem tem dinheiro.  Ismael,  tinha um dom,  pintava e confeccionava malas,  vendia na feira,  levava a filha terceira da escadinha,  que ajudava vendendo tempero,  o ganho não dava para o sustento da família.  O cérebro é uma caixa de surpresa,  aquele homem começou beber cachaça,  foi o suplicio para família, chegava em casa batendo em sua mulher, restava só água para beberem,  como as cacimbas eram construídas no quintal,  não se pagava água. Pobre homem,  ficou um bêbado e, veio a falecer de cirrose.
Maria,  foi vender na feira,  conseguiu um pedaço de chão,  construiu uma casa com vários quartos, alugava os quartos e foi cuidado dos filhos,  não pode educa-los, às 3 filhas foram vendedoras, e venceram na vida, a filha mais nova faleceu jovem, os 2 filhos varões tiveram o mesmo destino do pai. Os forte são perseverantes, sabem viver.

Varenka de Fátima Araújo

domingo, 25 de setembro de 2016

Uma mulher com tudo para vencer

Ela tinha pernas torneadas e,  um corpo invejável.  Estudou em escolas Públicas,  passava de ano com às melhores notas,  muito inteligente,  formou-se em Matemática.  Passou no concurso  para  trabalhar no Banco do Brasil,  contar dinheiro era muito prazeroso mas, tinha de atender muitos clientes,  por vezes,  ficava abafada com tantas reclamações e,  notas em sua frente.  Casou com seu melhor amigos,  tiveram filhos ,  vários imóveis,  muito insatisfeita foi vendendo os imoveis.  E, começou ter mania de grandeza,  usava roupas de marca,  tinha o carro do ano,  muitas festas regadas de bebidas.  Iniciou na beberagem  com um drink,  como tinha antepassados alcolatras,  não deu a devida importância.  Teve o segundo marido que bebia,  muito  murros,  socos, culminou em separação.  O terceiro foi o melhor esposo,  tiveram  duas filhas,  com um Frigobar com bebidas caríssimas,  o álcool já estava correndo nas veias.  Ela era insaciável em fazer sexo,  com uma boa dose de whisky,  acabou o casamento,  dividiram os bens.  Como não podia ficar só,  ela foi morar com um gigolô,  um homem feio,  sem princípios,  mas, tinha aquela lapada que ela não podia deixar de  mexer e, sem menosprezar, sem deixar de fazer um dia. A gulosa continuava, aposentada, no princípio era um contentamento, com uns anos o ócio,  foi de gole em gole se afogando na bebida, no final sozinha.  O álcool é a maior mal que o homem pode consumir.  O mundo está virado.

Varenka de Fátima Araújo

sábado, 24 de setembro de 2016

Homenagem para Beata Maria de Araújo


Beata Maria de Araújo

Ò alma pura, votos de castidade
Fizeste o bem, de repente sofrendo
Na correria foste levada, verdade
Encurralada no Crato, enfermidade

Para surpresa, rasparam tua cabeça
Maus tratos ante um abismo rasgado
Para e fica...  Sem resposta na cabeça
Mas confirmavas o milagre sagrado

Ficaste reclusa sem habito, doendo
O tormento desfalecido, definhavas
Eles prosseguem com golpes sem dó

Perdoa Deus, mas defendo a beata
Na desavença desta vida marti
O povo conclama a Santa beata

Varenka de Fátima Araújo

domingo, 18 de setembro de 2016

Paralimpíadas Rio 2016

Paralimpíadas Rio 2016

Os jornais gostam de publicarem fotos de desastres horrendos, para venderem bastante.
Jornais e, mídia não deram à  devida divulgação da Paralimpídas no Rio de 2016, algo soa estranho, como  vem sendo tratado o assunto. O discurso da doença não comoveu toda mídia.
Existe algo fascinante nestes atletas, que são capazes de superar suas dores, a fragilidade do físico. A frágil evidência de quem são, uma violência de quem já viveu um acidente, outros atletas, já nasceram com uma doença crônica, ou , degenerativa, suas relações com a dor, tornam apaixonados pela vida e,querem dar um compasso da existência, como superar a dor, com suas vitórias, são metas
dos atletas, eles entram numa intervenção divina para romperam a eternidade. O amor a vida permanecem em cada atleta com sua deficiência. Uma nota zero para os jornais e televisões, pois estes seres humanos superam a dor, desigualdade, canalizando suas energias para resistirem aos sofrimentos. E, portanto eles se alimentam em receber uma medalha, como prova da sua existência contra seu pior adversário, a doença.

Varenka de Fátima Araújo.

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Números no Blog

Então.....Matemática, bicho que acaba com os miolos,
na escola era um fiasco
contava nos dedos embaixo da carteira
2, 3,5,soma 10, enganava não
placas de carro, BR 2133
pego um algarismo, vou tentando desfiar a sequência
telefones, uma infinidades de numero
acrescenta o DDD, 71, 75
acho que perdi o contato.
na fila do SUS, falta 13,15,19, xi
o certo é o Revolvemojos
era 11,998 visits
hoje, 12.000 visits
meu singelo Blog, gratidão.

varenkadefatima.blog


quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Colcha de Retalhos

Minha  mãe pensava: Picos é perto, faz calor,vivia balançado na rede, naquela época eu era pequenina, ela guardava retalhos. Ela continuava pensando: Muxiopó, seu pai vai ser promovido, foi onde nasceu seu filho, o Segestes. Ela continuava: Fortaleza, eu pensava vou abandonar minha escola, foi nesta cidade que meu pai ficou desempregado. Ela não deixava de pensar: Juazeiro do Norte, foi doloroso, ela não foi frágil, segura uma maleta, de porta em porta vendendo sapatos, roupas,e, colhendo retalhos, viajava, colendo retalhos. Pensou decididamente: Salvador, só pensava em sua família, fixou residência, aposentou com uma  pensão que nem sequer consegue comprar seus remédios,terminou a colcha de retalho, cada um marca detalhes com precisão e, determinação. Suas mãos, hoje, já não estão viçosas, sem firmeza. Está relíquia é minha.

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Poetizando Momentos

     Era uma tarde de setembro, o sol e o vento perturbam meus cabelos, como de habito segurei a respiração por segundos uma festa de pensamentos, são tantos poetas com suas letras neste livro, sei que A.J. Cardeais comemora mais um, no Movimento Literatura Clandestina.

Homenagem a Jorge Luis Borges


quinta-feira, 8 de setembro de 2016

Mulher que sabe lutar.

Mulher

Maria Quitéria
Raquel de Queiroz
Maria Bonita

Eu pego a caneta
Escrevo o que sinto
Seguindo o exemplo
Das mulheres valentes

Não falo de fores
Falo da mulher que vai lutar
Em passeatas, em praças, ruas
Que lutam sem armas

Mulher que alinhavam
Com palavras escritas
No computador, sites
Em prol de mudanças

Mulher bonita que ama
Maria Bonita e, Lampião
Raquel de Queiroz, escritora
Maria Quitéria, militar brasileira, heroína.


Carta ao Presidente

Excelentíssimo Senhor Presidente da República do Brasil


A Vossa Excelência, Presidente Michel Temer

 Meu nome é Varenka de Fátima, imortal. Sim, enganei a morte, quando foi retirada minha tireóide, fiz reversão da aposentadoria, enganado uma segunda morte.
Quase sempre a morte me persegue, mas eu me safo, e, ela pega outra pessoa.
Até quando, senhor Presidente?
Eu não paro de me dizer que não é justo passar a vida inteira trabalhando, já toda metamorfoseada,
 aposentar por invalidez ou ter uma aposentadoria que chame a morte.
Até quando, senhor Presidente?
O país se arrasta faz muitos anos, errando e acertando, não e não, isto não pode tomar corpo.
A educação está um caos, valores descartáveis, continuação de desgastes dispersos e contraditórios.
Rumores delirantes de que o País vai piorar, não tem como passar para pior do estado que se encontra.
Como a paisagem muda rápido quando vamos de metrô. Então minha índole cortada e ordeira, pede sem resignação, sem grito de guerra que zelem por padrões éticos.
Sim, tudo pode mudar desde que esteja viva! Que prevaleça a Ordem e o Progresso.

Varenka de Fátima Araújo









sábado, 3 de setembro de 2016

Para dizer a verdade

A verdade não se encontra metida nas mentes de uns homens que estão numa casa com suas vontades próprias. Tudo começou na colheita do café, pediram muito dinheiro, gerando uma Dívida Externa sem precedente, um povo que não tem acesso á educação fica cego, somente quem  estuda entende os manejos da política. Foi consumado o Impeachmente da Presidente Dilma Rousseff, o povo não votou neste julgamento. É claro que a Democracia foi violada. E o processo, mostrou ao mundo, o que deveria ser lavado em casa. Abatendo  muitos cidadãos honestos. A história marcará o segundo Impeachmente, o primeiro foi o do Fernando Collor bem diferente e, no mês de agosto de 2016 o de  Dilma Rousseff. A história será implacável marcando nomes do Brasil.
É vergonhoso para quem ama o Brasil pois, o mundo sabe das manobras que estão fazendo, sabem como é fácil pintarem juízes como eram pintados antigamente, para conseguirem só a inveja e a ambição estão estampados em seus rostos. Mais tristonho ficaram famílias,com seus filhos sem conseguirem empregos, professore abatidos pelo cansaço de longas lutas. Aposentados que já estão a beira do precipício com suas aposentadorias diminuídas, sem direito do resto da vida .  Eles fingem, que não irão levar no caixão um montão de dinheiro, sugado do seus próprios irmãos. No rosto dos poderosos máscaras, já não sabemos em quem votar.

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Portas que alinhavam um labirinto

São tantas portas que uns homens se perderam,,,,,

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Homenaje a Jorge Luiz Borges

alfredasis.cl
ALFREDASIS.CL                          ISBN:978-956-362-928-6.
Jorge Luiz Borges

Eu sei que sua mente tinha ideias altas.
Essência, como foi sua forma,
de escrever em todo o mundo.
Essência, que formou libertando,
seu existir na eternidade.
Eis o escritor que inovou,
com sua forma diferente,
como um anjo com luzes .
Também agora de dia e,
noite o labirinto fica sem fim.
Incensando o Universo com suas letras.

Varenka de Fátima Araújo

sábado, 27 de agosto de 2016

Olimpíadas no Rio de janeiro - Brasil - America do sul

Este presente já é passado e, vai ajudar a definir na história dos esportes que foram permeados em fotografias, vídeos, Facebook, Twitter, blogs, jornais em um delicioso vai e vem de atletas dos quatros Continentes. A abertura para todos os gringos ficarem enamorados e, extasiados, com flash  do descobrimento do Brasil pelos portugueses, os índios com suas danças , os negros, a favela, o crescimentos com prédios, a saída do 14 bis com Santos Dumont do  Estádio do Maracanã. O desfile na passarela de mais famosa manequim a Gisele Bündohen. Enfim começa a disputa, no quadro das medalhas foram: Estados Unidos 121, Grã-Bretanha 67, China 70, Brasil 16, está disponível na net, Jogos das Olimpíadas de 2016 o restante dos países que ganharam medalhas.
Quem torceu a cara para a primeira Olimpíadas de 2016, sediada no Brasil, com suas visões partidárias da politicagem se ferraram. É registrado  desde o ano de 2000 que os jogos passaram à serem patrocinados por grandes empreendedores e, é, evidente que os políticos disputam o seu quinhão.
A maior celebração da vida, teve o maior exito no Brasil, apesar da crise em todos os níveis que passamos. Foi uma das Olimpíadas sem atentados, por parte de uns poucos homens destruidores da harmonia em seus costumeiros ataques em matar atletas.
Sim, subimos ao pódio com atletas, principalmente da Bahia, sem patrocinadores que foram verdadeiros heróis, exemplos a serem seguidos por outros jovens. No encerramentos, uma mostra da força e, persistência das mulheres rendeiras, da música de Luiz Gonzaga, a dança do xaxado, ficou a marca dos nosso atletas negros. A certeza que o Nordestino foi o alicerce para o crescimento do nosso país. " Eu te amo meu Brasil, eu te amo".

Varenka de Fátima Araújo.

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Por minha participação em "Sociedades Enfermas".

Lamentamos todos uma vida a menos
Que rege conflitos, frente tantas barbarias
É que o ódio anda em mentes doentes
Se às racas estão gladiando
E a perda da visão da irmandade
Lamentamos todos os mazelas contra mulheres
Que fazem memórias, povoando os continentes
Se a mulher faz um grande homem vencer
Só uns monstros podem torturarem, matarem com crueldades
Lamentamos os abusos e, matanças contra crianças
Que carregam mudas de plantas nas Olimpíadas
Que fazem renascer esperanças vindouras
Lamentamos os cachos rubros das flores, frutos
Que são arrancados do solo por desordeiros
Que lancham sem pena no ar já pesado de gases
Que poluem rios e mares, fazendo o meio mundo moribundo
Lamentamos mentes insanas das Sociedades enfermas.

Varenka de Fátima Araújo

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Dia do pai/mãe

Com esta música na voz do Freddie Mercury, eu comemoro com todas às Mães que como eu, foram pais dos seus filhos. Eu, sei o que é ser pai,fazer os dois papeis de mãe e pai, eu realmente me revesei em muitos. Eu fui persistente como um leão, trabalhei, mudei em vários ritmos. Carregando o filho ô, filho presta atenção, segura em mim bom dia filho, eu segurava a porta da escola, cuidado respeite a professora, esqueci a panela no fogo, voltava para casa, apagava, seguia para o trabalho, falava o tempo todo do receio da criançada, boa tarde filho,pegava em sua mão de volta para casa , vamos passear e, contava historias do Lobo mau, Dona Carochinha, Môngli, vem, filho acorda, vamos para a natação, água é tudo, segurava meu braço, sua chinela está trocada mãe os dias escorrendo, passando numa rapidez, fez vestibular, passou na Faculdade paga, paguei sem pena, agora me ensina,valeu filho. para contar os degraus que subi e, desci, então entendam um filho é para sempre, o que vai ficar será ele e meus livros.

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Ela segue como uma atleta







Olimpíada em Salvador-Bahia-Brasil

Calendário dos jogos em Salvador

04/08: México x Alemanha (M) e Fiji x Coréia (M)

07/08: Fiji x México (M) e Alemanha x Coréia (M)

09/08: Austrália x Zimbábue (F) e Nova Zelândia x França (F)

10/08: Japão x Suécia (M) e Dinamarca x Brasil (M) – Esgotado;

12/08: Quarta de final (F)

13/08: Quarta de final (M)

 É hoje, eu sei bem, mas há meses o mundo está de olho no meu país, uma tempestade  de palavras vinda de todos os cantos, como se a terra mais cobiçada tivesse culpa dos maus tratos, as bananas podres que foram jogadas por inescrupulosos, nem o povo, e, a terra que a força da natureza fez  muitíssimo fértil e rica são culpados,  os pagadores somos nós, o eco dos sons nos atingem. Vibrarei com o círculo que abriga atletas e, jogadores, sem medo, cantando o Hino da Vitória. O palco vai ser na Fonte Nova, bem equipado para receber um público calosos. As Olimpíadas foram alvo de invejosos. Não tem meio termo, para os atletas, a vida tem mais valor. Axé.

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Agosto

Agosto
Agosto sorriu para mim, soprava um vento de moinho,
sem cabeça de dinossauro, era trégua de julho,
os agouros se foram como baforadas dos cachimbos dos índios,
o mico não era meu, pagam os que enchem os olhos de cobiças,
meus versos cantam com sentimentos que vertem da mente,
veste uma ossada frágil, com força de uma leoa, e, vamos
sofrendo, esperançosos com os tempos de fartura, irmãos
perdão o mundo está parado no lamaçal com bichos repugnantes,
entre senhas,uns cantam, outros insanos,outros pedintes,
outros esfolham, outros escarneiam, muitos fogem,
muito cuidado,as escolham são de inteira responsabilidade da vontade própria,
viver no arrependimento é uma prisão,
o céu é tão vasta que nunca tem fim.O amor compensa.
Varenka De Fátima Araújo

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Livro em Homenagem a José Carlos Mariátegui

Estou participando com  uma poesia do livro, organizado por Alfred Asís.
ISBN - 978 - 956 - 362 - 825 -8
Mais um herói para história
Homem que conhecia a realidade da época
Escritor, jornalista, sociólogo e ativista político
Os homens donos das terras e ambiciosos
Imperando, maltratando nossos irmãos
Suas palavras mostram a luta dos índios
Eu exalto o homem que espalhou esperanças
Despertando em toda America do sul
Novos horizontes com palavras
Foi ele, sim que moveu novos tempos
Com, Sete Ensaios de Interpretação da Realidade Peruara
Cá em baixo do Equador, será sempre venerado.

Varenka de Fátima Araújo

Meu nome em selo postal


quinta-feira, 28 de julho de 2016

Germano Machado completa 90 anos

Quando eu entrei na Câmara de Vereadores, senti como se estivesse voltando.
Vindo ao meu encalço o Germano Machado, livro na mão, sua arma mais feroz,
segurei sua mão, seu olhar firme, elucidação certeira, com seus noventa anos,
ergueu sua outra mão, num gesto de sábio: "Para frente e, para o alto".


Meu texto na capa do Livro de Valdeck de Almeida de Jesus


segunda-feira, 25 de julho de 2016




No dia 25 de julho é o dia do escritor.
Para falar de publicar um livro, uma tarefa de muitas braçadas, o escritor na sua criação, coloca o que vem na mente, pesquisa o que se passa, cria personagens, procura uma editora para publicar sua obra inusitada, vem a Editora que cobra uma fortuna para fazer todo a editoração. Como contornar tanto custo: com ajuda da net montar a capa, fazer a ilustração, revisão e, PDF, mandar para uma Editora de preferencia que tenha loja virtual com E-book. Para divulgar precisa de um produtor, ou persistir, pedindo para jornais divulgarem uma pequena nota na coluna de "Diversos", enviar cartaz para Facebook e, espalhar pela Internet. Segue para vender em feira de livros, aos amigos. Doar para bibliotecas para serem lidos. A sina do escritor é ser humilde,honesto,sair pelo mundo como se escrevesse fosse uma fonte de não morrer.



A irreverente e exótica Varenke de Fátima,
cabelo cortada ao modo das índias nativas,
blusa com dançarina em poses da dança do ventre,
short da moda com estrelas,
bolça de Barcelona,presente da prima Fabíola,
ensaiando uns paços da dança

terça-feira, 19 de julho de 2016

Na contra capa do Livro Algazarra Poética

 Meu texto na contra capa do livro Algazarra Poética

Dinheiro

Dinheiro. Dolar. Libra. Euro. Real...
Quanto vale? Somos avaliados pelo dim dim..
Todo dia uma pessoa me aborda na rua, esquina,
por e-mail, internet. Eí, me da um dinheiro.....
Virou uma epidemia.

Varenka de Fátima Araújo

segunda-feira, 18 de julho de 2016

Mascara


Reitoria da UFBA

São 70 anos da UFBa, onde me formei em Direção Teatral.

PORTAL CEN


"Cá estamos nós" para festejar os anos do PORTAL CEN
Hoje o véu do céu rasgou
Era festa lá e cá
O Portal CEN completa 18 anos
Seu fundador Carlos Leite
Estava radiante diante da sua obra
Mostrava com fervor o grande feito
Com letras de poetas, escritores do mundo
Com harmonia de cores, poemas, poesias
Enaltecendo todos com o mesmo amor
E, o portal CEN segue divulgando sem distinção
Em sua trajetória, fazendo historia
Pra o Portal CEN "Cá estamos nós" seguem mil bravos!

Varenka de Fátima Araújo

quarta-feira, 13 de julho de 2016

O melhor dia do ano.

Quero externar a minha gratidão pora todos que estiveram me encorajando no momento da intensa  dor,e, perda da minha audição. Hoje, dia 13 de julho de 2016, tenho uma notícia que a tecnologia avançada me propocionou, estou usado aparelho auditivo definitivamente, ouvido perfeitamente. Agradeço aa meu Deus, minha mãe Albaniza, Fadila e Monime, Hermengarda, Vidmar Garrido pelo apoio constante. Meu médico o dr. Nilvano Alves de Andrade. Meu chefe o Fabio Dal Galo. Minhas colegas: Maria Eugênia, Rita de Cassia e Ana, Leandro. Toda está turma de escritores no Facebook, tenho a certeza que o uso correto, vai ajudar muitos, por terem feitos comentários valiosos. jamais esquecerei, meus queridos
Varenka de fátima Araújo

Valter Bitencourt Júnior Profundo, espero que fique bem, a tecnologia vem a surpreender em vários aspecto...
Curtir · Responder · 10 de julho às 10:31
Varenka De Fátima Araújo
Varenka De Fátima Araújo Valter Bitencourt Júnior, ainda estou me recuperando perdi muito peso, estou vendo que o meu sofrer vai terminar, escrevi muito como uma dor imensurável! Obrigada amigo.
Curtir · Responder · 10 de julho às 10:35
Valter Bitencourt Júnior
Valter Bitencourt Júnior Acabei de ver uma das suas fotos. Escreva é bom a escrita consola, vai conseguir superar!
Descurtir · Responder · 1 · 10 de julho às 10:37
Maria Do Carmo Bita
Maria Do Carmo Bita Desejo que se recupere plenamente. ABRAÇOS.
Descurtir · Responder · 1 · 10 de julho às 10:44
Varenka De Fátima Araújo
Varenka De Fátima Araújo Valter Bitencourt Júnior, foi tão devastadora que me isolei, apenas minha família e, colegas do trabalham ficaram sabendo me ajudaram. Ainda voltarei a minha rotina em todos os setores.
Curtir · Responder · 1 · 10 de julho às 10:46
Varenka De Fátima Araújo
Varenka De Fátima Araújo Maria Do Carmo Bita, foi preciso muita fé, quase perco tudo. já estou trilhando novos caminhos.Obrigada.
Curtir · Responder · 10 de julho às 10:48
Maria Do Carmo Bita
Maria Do Carmo Bita Deus lhe dê sabedoria para que vc possa trilhar novos caminhos cheios de esperança, com fé,e vigor.Não olhe para trás, o que passou não mais lhe pertence. Deus no comando.Sinta-se abraçada. 💋❤
Curtir · Responder · 1 · 10 de julho às 11:22
Alaíde S Costa
Alaíde S Costa "Levante, sacuda a poeira e dê a volta por cima", Varenka De Fátima Araújo ! Torço por você!
Curtir · Responder · 10 de julho às 11:45
Marly Ramos
Marly Ramos Varenka De Fátima Araújo vc vencerá. Também passei por isso, hoje uso aparelhos. Continuo me superando a cada acréscimo em meu histórico de saúde. Força, superação e fé. Abcs.
Curtir · Responder · 10 de julho às 12:02
Varenka De Fátima Araújo
Varenka De Fátima Araújo Alaíde S Costa, noites sem dormir, era um pavor,estou melhorando.Bjs
Curtir · Responder · 1 · 10 de julho às 12:42
Alaíde S Costa
Alaíde S Costa Deus no comando! Bjssss
Curtir · Responder · 10 de julho às 16:48
Varenka De Fátima Araújo

Escreva uma resposta...
Escolher arquivo
Varenka De Fátima Araújo
Varenka De Fátima Araújo Marly Ramos, então somos duas lutadoras.Obrigada por saber que vou ficar bem de saúde
Curtir · Responder · 1 · 10 de julho às 12:45
Marly Ramos
Marly Ramos
Descurtir · Responder · 1 · 10 de julho às 12:45
Soares Lucymar
Soares Lucymar Em determinado momento de nossas vidas, muitos de nós somos impactados e eu n fiquei de fora. Também andei cuidando de minha saúde. É isso aí, nunca desaminar e se renovar. Vamos avante!
Curtir · Responder · 10 de julho às 13:04 · Editado
Varenka De Fátima Araújo
Varenka De Fátima Araújo Soares Lucymar momentos desesperadores, pensei que iria enlouquecer. Quando o mês de Agosto chegar vamos sair por aí....Obrigada amiga.
Curtir · Responder · 1 · 10 de julho às 13:10
Soares Lucymar
Soares Lucymar
Descurtir · Responder · 1 · 10 de julho às 13:18
Varenka De Fátima Araújo

Escreva uma resposta...
Escolher arquivo
Fátima Oliveira
Fátima Oliveira Amiga Varenka, você é uma vencedora nata, corre atrás e sou testemunha de que és uma pessoa sempre em busca de sua saúde em estado de excelência. Esses momentos difíceis são para nosso crescimento, são difíceis, entretanto, o saldo positivo é Deus mostrando que está sempre atento e nunca desiste de nós. Desejo total recuperação e retorno às atividades literárias. Beijo no seu coração.
Curtir · Responder · 10 de julho às 14:39
Varenka De Fátima Araújo
Varenka De Fátima Araújo Fátima Oliveira, já me perguntaram se eu gostava de médico. Vc é testemunha do como sou cuidadosa, não por ser vaidosa, mas devido o que passei, a perda ia ser danosa. Já estou melhorando o lado direito, o esquerdo breve, o custo dos aparelho são altos. Vou conseguir minha irmã de fé. Beijos.
Curtir · Responder · 1 · 10 de julho às 15:16 · Editado
Fátima Oliveira
Fátima Oliveira Vai conseguir sim. O custo é altíssimo, mas é necessário. 😃
Descurtir · Responder · 1 · 10 de julho às 15:27
Marly Ramos
Marly Ramos Varenka De Fátima Araújo podemos consegui sem custos os aparelhos auditivos no orgão do governo no setor CEPRED. Inclusive esses aparelhos teem tempo de vida, uns 4 anos. Já estou com meu terceiro par de aparelhos. É um processo de quase um ano, mas vale à pena, já que são caros e ainda temos que trocar depois dos desgastes. Fica próximo ao hiper av. Acm. Mesmo local que se consegue cadeiras de rodas. Abcs.
Descurtir · Responder · 1 · 10 de julho às 18:18 · Editado
Varenka De Fátima Araújo
Varenka De Fátima Araújo Marly Ramos, obrigada pela informação. Abração.
Curtir · Responder · 1 · 10 de julho às 18:25
Marly Ramos
Marly Ramos De nada Varenka De Fátima Araújo.
Curtir · Responder · 10 de julho às 18:25
Varenka De Fátima Araújo

Escreva uma resposta...
Escolher arquivo
Natalia Canais Nuno
Natalia Canais Nuno Não estás só, eu também uso, perdi também cedo e sem poder recorrer a operação, não desanime, pense nas pessoas que usam óculos, todos nós vamos perdendo um pouco os sentidos, mas graças a Deus que a ajuda médica e os aparelhos nos ajudam muito.Beijinho amiga.
Curtir · Responder · 11 de julho às 18:30
Varenka De Fátima Araújo
Varenka De Fátima Araújo Natalia Canais Nuno, sofri muito, resolvi explodir minha dor, estou mais confiante, estou já usando um aparelho, breve vou colocar o outro. Então minha amiga somos lutadoras, fique sabendo que vc sempre foi querida. Gosto de suas fotos parabéns!!!

domingo, 10 de julho de 2016

A mulher de preto

A anunciada chegada da mulher vestida preto, que não é poderosa, está vestida de preto a cor do  inverno que aquece,e, que sua pele branca ressaí no preto. Uma mulher dotada de muitos adjetivos, sua realidade é estável devido a proteção dos Deuses, a doença acompanha desde sua infância, suas aptidões artísticas, mascaram sua luta constante contra às dores, tudo é intenso na idade adulta. Eu nunca desconfio quando uma tal doença se instala, vem sempre silenciosa para definhar e, os diabos ao seu redor para enviarem mais um para trevas. Comigo não, não e não vou perder a palavra falada que são reflexos dos sons, melodias. Eu estava cansada de ouvir batidas no ouvido como se fosse arritmia cardíaca, fui ao cardiologista nada foi diagnosticado no coração. Quando comecei a ouvir um zumbido, falei para uma amiga negra, o que estava acontecendo. Ela, me disse que eu estava perdendo a audição, muitos na sua família  estavam surdos. Um pouco atordoada com esta tempestade marquei o otorrino, foi constatada quase uma perda lamentosa. Desci ao fundo do poço, fiquei sem comer, sem dormir,estava fraquejando. Encontrei meu médico na beira de uma depressão, comecei a lutra contra a perda da audição com ajuda do meu médico Dr. Nilvano Alves de Andrade que já tinha feito uma cirurgia no ouvido esquerdo, passarei a usar aparelho auditiva, passei pela prova de adaptação, estou ouvindo muito bem, a tecnologia sempre salvado vidas. Se Ludwing van Beethoven estivesse vivo, ouviria suas partituras em concerto.

domingo, 3 de julho de 2016

Gatinha do Poloca

Plumas pretas que perfumam o ambiente
Perfume que exala salpicando na relva verde
Na lua serena ela é manhosa
Em noite de lua cheia ela é felina
Na boca os ratos tem morada funébre
Gatinha guiada por cores de luzes
Poloca fica todo radiante com esta dengosa.

Gatinha Preta


Foi adentando segurada pela mãe malhada no jardim, seus pelos plumas pretas, olhos amarelos que faíscam como o sol, anjo negro, um som, quase uma canção melodiosa, soprado um segredo. Em uma moldura fica um quadro bem realista.



Não sou poderosa

Não sou poderosa
Nesta gélida noite para minhas dores e zumbidos
meus cabelos foram respirar atraídos pelas estrelas
quase um gozo não sentido, não se toca no céu.
Lá são outros ares,  jamais se toca no céu ele permanece misterioso,
tão intocável que os pintores não coseguem os seus tons.
Uma coruja me mostrou o caminho de volta.
Três vezes salva, desta vez a tecnologia vai me salvar,  nesta terra.
A doença sempre diminui os anos de vida,  ainda me restam uns anos, neste novo tempo só me resta escrever.
Varenka De Fátima Araújo

terça-feira, 28 de junho de 2016

Beata Maria de Araújo

Ò alma pura, votos de castidade
Fizeste o bem, de repente sofrendo
Na correria foste levada, verdade
Encurralada no Crato, enfermidade

Para surpresa, rasparam tua cabeça
Maus tratos ante um abismo rasgado
Para e fica...  Sem resposta na cabeça
Mas confirrmavas o milagre sagrado

Ficaste reclusa sem habito, doendo
O tormento desfalecido, definhavas
Eles prosseguem com golpes sem dó

Perdoa Deus, mas defendo a beata
Na desavença desta vida marti
O povo conclama a Santa beata

Varenka de Fátima Araújo

terça-feira, 14 de junho de 2016

Martin Luther King

Livro organizado por Alfred de Asís, tenho uma poesia em homenagem ao Martin Luther King. Inpresion em Isla Negra - ISBN 78956-362-574

Algazarra Poética

Assim vamos seguido A. J. Cardeais, nesta Algazarra Poética. E num estalo natural juntos, porque
o Movimento Literatura Clandestina cobre com palavras desta constelação de escritores. E o meu poema segue de braços abertos.


.Antonio J. Cardiais em uma sua poesia declara; " NÃO ESPEREM NADA DE MIM". Mas eu vejo o contrário, devo admitir que ele é surpreendente, colocou o meu texto na contra capa do livro Algazarra Poética, e, então, só fiquei sabendo ao receber os livros das mãos do carteiro. A sua discreta ação, é decisiva. Ele é um escritor, poeta,divulgador centrado no que faz, sutil na sua engrenagem...inútil esconder meu contentamento. Assim este livro, com uma capa deslumbrante! Feita por suas mãos com toda dedicação e, poesias impactantes de poetas. Enfim, só tenho que agradecer por tudo que o tem divulgado, Antonio J. Cardiais e,feito pela Academia Virtual de Escritores Clandestinos.
Varenka De Fátima Araújo


domingo, 5 de junho de 2016

Pensamento - Paixão

A história de uma paixão é incansável, acaba sempre com um sorriso lamentável.

Varenka de Fátima Araújo

Pensamento - Jogo

Entre as cartas e jogos das palavras sempre permanece a verdade.

Varenka de Fátima Araújo

quarta-feira, 1 de junho de 2016

Pensamento - Milagre

Estamos na era da net: eu ,uma pessoa não faz mais milagre. Este efeito ficou para estudo dos que já realizaram esta causa.

Varenka de Fátima Araújo

Pensamento - Solidão

Nossa, chega mansamente, fica como se fosse um bicho que fica grudado.

Varenka de Fátima Araújo


Pensamento - Casamento

A chave só abre para poucos, minha mãe não me ensinou o segredo.

Varenka de Fátima Araújo

terça-feira, 31 de maio de 2016

Fatos e Retratos - Contos e Crônicas



Meu livro "Fatos e Retratos - Contos e Crônicas" agora na Editora Perse.


segunda-feira, 23 de maio de 2016

Cultura

Cultura.
O poder é dos que usam anéis cravejados de pedras
A divisa estava feita, sem renda ou com real
O teatro, talentos isolados, cenários sem lantejoulas
Músicos por trás de cantores que levavam fama
Os cinemas só de beldades que aspiram posições
Os que vivem dos temperos, cantarolando nos sertões
Descalços sem macacas vestidas de chitas, só o chapéu
Não vê que é grande o meu desalento, o povo despido
Pois não esqueçam sou artista do povo para o povo.
A cultura não será sepultada, ainda resta os que fazem por amor.
Não haverá fervuras que derreta os honestos da arte.
A Cultura de um povo não se apaga.


Varenka De Fátima Araújo

terça-feira, 17 de maio de 2016

Sántuario de artista

Santinhos
um santo breve
diabinhos
com esperteza
insistindo fingir
bebem do amargo
bebem café preto
não são mais esquisitos.


O retrato

O retrato de Martim Gonçalves o fundador da Escola de Teatro da UFBA.

Retrato do fundador da Escola de Teatro da UFBA

Martim Gonçalves um homem com veias de artista funda a escola de Teatro na década de 1950. Era médico, pintor, um grande diretor de teatro que veio do Rio de Janeiro, chamado pelo Reitor Edgar naquela época para dirigir e fundar a Escola de Teatro em Salvador-Bahia.

Praça Campo Grande


Na Praça Campo Grande
Não tem  os pracinhas
Não o cloreto no cento
Não tem mais ostentação
Tem grades que protegem
Estatua da Cabocla
O lago artificial
O parquinho dos meninos
Os bancos dos aposentados
Os aparelhos para ginasticas
Ou um zume dos passantes
O lugar é pitoresco
Mostra como uma poesia
E, os poetas declamam
Como se fosse a última vez
Uma visão que não se apaga.

Varenka de Fátima Araújo

Poesia 'Viver no Planeta Terra" na árvore do Campo Grande.


quinta-feira, 12 de maio de 2016

Um Vate

No esplendor da aurora
Quis um vate perpetuar
Visto os frutos em abundância
Vai tecendo os versos e prosas

Mas, alinhava fios de sentimentos
Por mais esforço que faça
Sabe que o tempo é breve
Ornando palavras de sapiência

Para não ficar esquecido no mundo
Vai cortando os ares com letras
Vem como os escritores sem fama
Com o cunho dos seus escritos

Desfrutáveis, só depois de cem anos
Cujo o tempo no compasso marcará
Jaz em uma cova um poeta, sem fama
Sr. Seleno de 0028 + 0100, anos.

Varenka de Fátima Araújo

Janela


Da janela as folhas cantarolam
E o malabarismo dos micos-leões
Que passam no fio como no circo
Da janela a chuva derrama seu lamento
Porém o mundo caí em sua visão
As solidões fazem parte da curta viagem
Eles passam sem alcaçarem aquela janenla
Da janela a vida passa sem brincadeira
Os pombos voam dançando um tango
O transitar de cobras rastejando na terra
E o céu no casamento com a luz muda de cor
Da janela o mundo vai passando velozmente.


Varenka De Fátima Araújo

terça-feira, 10 de maio de 2016

Para Aparecida Feitosa Jacob Gomes

Cida,

Naquela época, eu ficava olhando da janela da minha casa para sua casa, para vê os mil sapatinhos e vestidos que vc usava, seu andar bamboleando era sensacional. Nada nem o cansaço fazia você ficar em casa. Foram tempos dourados. Mostrava cartas de amigos seus que recebia, todo aquele montão de cartas, eu pensava que você respondia e um dia veria um livro seu publicado. Um charme especial irradiava da mocinha que queria se divertir. Subitamente tivemos de partir, não houve despedidas.
O face mostrou o quanto o tempo não apaga uma amizade. Daqui fico imaginando o seu sorriso franco, bem no Mato Grosso tenho uma amiga.

Mil beijos da amiga
Varenka de Fátima Araújo.

A natureza sabe guardar segredos

Se este banco falasse....Quantas lamentações, ela era magricela, o banco permanece com as cores originais desgastadas pelo tempo.O único lugar que sabe de suas declamações, aquela árvore no centro devorou muitas pegadas e o mar cantava para aplacar dores, amores. A figura de Chaguinhas sempre presente.

Carta para meu pai

Chaguinhas,

O senhor não está aqui na terra, não presenciou, o que sempre me disse:" Uma mulher no poder, quem governa por trás é um homem. minha filha a politica não serve para você, fique longe".
Nestes últimos meses vivi momento de tensão, sei um pouco do povo, povão que não estuda, não sabe votar. Agora tem o Fecebook, Twitter, Zap, que os que entendem de politica ficam jogando os seus textos, como os jovens possuem celulares vão lendo ,e, aprendendo. Afastaram a primeira Presidente Dilma do poder, mesmo sem  acharam um crime cometido pela Sra. Presidente,na rua tudo diferente, uns no ritmo de agressões, outros de contentamento.
E então, nesta tarde de maio...não, não pode ser, estou com dificuldade de respirar, quero meu Brasil na mais perfeita ordem, vem o tal  palpite de que muito vai acontecer, neste jogo tudo é possível. Basta o sofrimento de tantas agulhas em meu corpo, na mente só incerteza. Desculpa papai, se falei.

A casa amarela

Eu era uma adolescente, gostava de ficar na janela do terceiro andar de um prédio alugado.
A minha mãe falava que queria uma casa própria, amarela. O cruzeiro, um cruzado, um real vale muito, queria segurança para os filhos. Encontrou a casa amarela, quase igual a da pintura. Foi uma euforia. A paisagem mostra uma outra realidade, permanece como os cinquenta anos sem amarelar, sem um sinal de envelhecimento.A pintura realmente é fascinante! E a casa está uma propriedade sendo mantida, sem o pomar, o tempo é tão duro.


Minha mãe


Minha mãe a MULHER BONITA, muito em comum: cores, sensibilidade, formas de vencer a vida, o amargo revertemos com sorrisos.



quarta-feira, 4 de maio de 2016

Cavalos

Cavalos
Gosto muito de cavalos
os do xadrez são potentes
sendo bem manobrados
no jogo surge a verdade

Mas ah! O cavalo?????
Vai longe, não monto
sinto que morri de uma queda
nem um afago, nem adeus

Cavalos, pretos, brancos, marrons
severos, fortes galopam pelo mundo
servem de corridas para o homem
servem de trasportes para o sustento

Para não marcar nem um cavalo
eu queria ter um de olhos negros
no sopro do vento galopasse....
SILVER, tom,tom,tom,tom,tom,tom.

Varenka De Fátima Araújo

quinta-feira, 21 de abril de 2016

Carta para mamãe


Carta para mamãe,

Aqui vai umas letras perfumadas com música para senhora.
Hoje me vesti com sua o vestido que é sua cara, dei um show em um recinto fechado, era Fernando Pessoa, Chaguinhas. O poloca estava como meu salva-vida. Cantei "Olhos verdes", fiz uns versos para um rapaz.
Em poucas horas meu testamento estava nas mãos do meu Poloca.
Ainda tenho o maior amor do mundo pela senhora.
Varenka De Fátima Araújo

Carta para Caio Marinho



Carta para Caio Marinho,

O menino sempre falava desde pequeno que queria ser advogado, tinha suas peraltices, eu sempre brava, você me chamava de Perpétua, sorrio deste tempo. Sempre soube da sua inteligência aguçada. Sei que honrará sua profissão, foi sua opção desde pequeno sendo confirmado sua vocação. Tenha certeza meu querido, que a tia tem carinho e, ama você do modo dela. Mais um advogada na família.
Desejo que seja um brilhante advogado na sua profissão.
Varenka de Fátima Araújo.

segunda-feira, 11 de abril de 2016

Varvara

Varvara,

O sol vem vindo, não fique parada, a sombra não combina com seu grito.
Breve falaremos.

Varenka de Fátima Araújo

segunda-feira, 4 de abril de 2016

Uma cidade não é o Mundo

Acorda
Vem abraça a cidade
Toda restaurada

Eu não fiz,não fiz nada
Passei o tempo correndo, sem fumar cigarro brabo
Sem poder parar para contemplar o por do sol
Sem poder pegar uma criança no colocar no colo

Da porta da entrada e saída
Nada pude vislumbrar, ela estava sempre sisuda
Uma cidade do grafite para o preto, com mistérios de séculos
E, o povo negro foram quebrando esses padrões apodrecidos

Estou hoje certa, que fiz pouco como mulher
Sofro com o descaso de certos homens de terem o poder
Não vale o poder sem amor, sem um pouco de dignidade, com dinheiro rasgado
Estou hoje certa que a luta será por muito tempo, estou quase desconjuntada
Olha, não somos mais saudados com um caloroso aperto de mão
Nem um abraço de amizade que não se paga e não mata saudades
Somos vencidos com deslealdade e ganancia de serem os melhores
Não existe os melhores, somos todos iguais perante um punhado de terra.

Da janela que não mente
Vejo uma cidade toda reformada
Esqueceram de ajustarem os parafusos das mentes com preconceitos
Com  tanta distinção de raças, cerdos e gêneros
Da minha escrita de nada ou pouco restará, são rabiscos sem regras
Se às traças estão sempre destruindo os papeis
Vou seguindo tentando mostrar que somos tão vulneráveis, que não restará nada.

Varenka de Fátima Araújo









sábado, 2 de abril de 2016

Lá fora...Dentro fora.

Lá fora o sol beijava ardente nuvens cinzas que nos cegava, o calor nos sufocava. Resolvi entrar na sala, e fiquei na primeira fila, para ouvir e sentir palavras eloquentes das mulheres.Fiquei confundida, olhando para a mesa, mulheres de posto , que não ouviam suas colegas, uma delas estava com seu celular, de olhos fixos na tela e zap, zap, zap... Eu não queria,  nem ao menos um, não via mesmo, que aparelho desconcertante. Por favor, desliguem os celulares, desliga, se liga um minuto em que as outras contam, ou o conto não fará um roteiro.
Nossa esses gestos desfazem toda um percurso a seguir. Mulheres não se enganem, ainda somos, divididas.Neste hora o vírus não aparece.
Não vislumbro a tal LIBERDADE, só conheço uma liberdade, o bairro mais populoso de Salvador.

Varenka de Fátima Araújo

domingo, 27 de março de 2016

Dinheiro

Eu nunca gosto de pegar em dinheiro rasgado, nem ler o que escrevem nas notas. Parecem avisos, já caí no conto. O vendedor de verduras, passou uma nota de vinte reais enrolada com outras notas, não percebi, quando fui pagar a janta em um restaurante, passei a nota de vinte reais, o rapaz do caixa , devolveu o dinheiro: "Senhora não posso receber a nota rasgada, senão fico no prejuízo". Imediatamente passei outra nota, estava azeda de revolta. Lembrei quem tinha passado a nota rasgada. Fui ao vendedor de verduras e pedi que trocasse a nota, ele, me devolveu uma nova.
Minha vó Aurora costuma dizer : "Quem rasga dinheiro é louco". Deus do céu, será que tantas notas que pego rasgadas, todos que fizeram o serviço estão louco? E, escrevem nas notas:
"Maria
não encontrei
o babado
braco".

Em outra nota:

"Quem pegar
nesta nota
reze um terço
para ser feliz"..

Varenka de Fátima Araújo


Na porta

Essa porta continuam passando muitos por ela. Sou esbelta passo por ela sem problemas, meu corpo apesar de gostar de homens, só ter feito amor com varões, meu corpo pertence a terra. Muitos falam dos seus segredos. Minha prima numa conversa, me pediu para que eu aceitasse sua relação com outra mulher. Vejam vivo o tempo todo com pessoas que não estão nem aí, são bem resolvidos.Todos sabem que não me importo com preferências sexuais dos outros, podem colocar e tirar cilicone dos seios, tatoo, mudarem de sexo, pintar o cabelo da cor que melhor cai bem. Minha prima pode ter certeza que você será muito bem tartada com sua nova companheira, digo nova, mas já fazem  dois anos que estão juntas. Para que você saiba, eu já suspeitava, com o passar do tempo tive a convicção de que você gostava de outra mulher. Seja feliz com sua companheira.Tem o meu apoio.

Varenka de Fátima Araújo

sábado, 26 de março de 2016

Viver no Planeta Terra


Como vai sua educação?

Sempre será a vez da mulher de qualquer etnia, credo, continuarem unidas e lutando. Eu já lutei muito junto aos colegas de trabalho, por cotas para negros, melhores condições de trabalho, por salários pois, a mulher sempre ganha menos no mercado de certos setores. Neste mundo , precisamos de mais escolas e faculdades, sempre uma pessoa  me pergunta  como vai a educação e como esta você? Eu respondo vai indo a educação , sabe, não chegamos no topo. Uma pessoa precisa estudar, senão vira Lobisomem, faz o estrago, não sabe distinguir nem uma verdade, ficam mail educados, chatos e inconvenientes. Depois, ficam no ócio, este contribui para fazerem às piores barbarias. Estudei em escolas públicas, sempre foi a meta dos meus pais, verem seus filhos formados, trabalham a finco. Eu coloquei meu filho em uma Faculdade particular e, hoje conversamos ,e, ele me esclarece muito sobre assuntos que não estudei. Acho que nunca devemos parar de estudar.

Varenka de Fátima Araújo

sexta-feira, 25 de março de 2016

O gesto do rapaz

  Eu tinha marcado com um amigo para almoçar perto, tudo fica esquisito no feriadão. Meu amigo me avisa que já está no restaurante, resolvi fazer um atalho no caminho, a rua estava deserta, avistei um rapaz bem vestido com com uma sacola de supermercado, ao passar do meu lado esquerdo, puxou minha bolça, entreguei, trocamos poucas palavras, na sua aspereza, meu olhar fuzilou em minha barriga, se houvesse um golpe às vísceras ficariam expostas. Ele segue sem olhar para trás, sabe que o dinheiro vai somar com o seu, não parecia que estava com fome, no fundo está é a maneira de conseguir com facilidade, sem ser punido. Um rapaz com um gesto brusco sobre minha mão,furta em pleno dia da Pascoa. Poderia ser pior, com certeza os vermes fariam uma festa sobre meu corpo. E a tal liberdade está vetada pelo capitalismo.

Varenka de Fátima Araújo

Fachada

Cidades cresceram, mastigaram  tábuas, concretos, conservaram o mesmo visual. A mudança veio com a internet. O povo continuam de cabeças mais ocas, uns são tangidos para um lado, outros por oportunismo vão para outro lado, um barulho que pega tantos. Na  cabeça um zum e zum como os sons das ondas do mar. O som de um auto falante faz esquecer o feriado, comerciantes ávidos para não perderem um centavo para não fecharem portas ou demitirem funcionários. Percebi que o melhor é manter a calma, não destilar ódio.Se o mundo foi sempre comandado pelas potências mais poderosas. De folha em folha no livros da história, tudo se repete.

Varenka de Fátima Araújo

Falência

Ele era um homem correto. Tinha uma uma empresa " Cleyton" de algodão em sociedade com seus dois irmãos e um outro que era amigo, tinham muitos empregados. Uma família tradicional, que doavam roupas e remédios para os menos favorecidos. O amigo sócio vendeu muito para outra empresa estrangeira que  afundou todos, foi decretado a falência. O exagero foi do estrangeiro que meteu o pau em todos e sumiu. Um dos empregados que era o gerente, tinha cinco filhos e mulher para sustentar, ficou desnorteado, sua esposa, mulher destemida, sugeriu mudarem para cidade de Juazeiro do Norte do Padim Ciço, seu esposo contraiu tuberculose, ela com seu faro de comerciante, foi vender joias em uma joalharia, o dono da loja percebeu o quanto podia lucrar e, ofereceu  joias para a esta senhora vender em outras cidades com uma boa comissão. Ela aceitou, enfrentou pessoas desonestas, viagens perigosas, ladrões que estavam sempre de vigília, até para matar.Com sua sabedoria, foi honesta em todos os sentidos. Sua família todos prosperaram, graças a esta mulher que não existe outra igual.


Varenka de Fátima Araújo

Terceira idade

Tudo é mais difícil na terceira idade, tudo soa mais pesado, não deixam que pessoas com mais de 60 anos, saiam que devem ficarem em uma sala como na prisão. Se quer viajar tem que convencer a tudo e todos. Paga passagem de ônibus, alegam que só com a idade de 65 anos. Esta pessoa já está com todo o corpo frágil, já pagou muito, tem uma aposentadoria que a cada ano vai diminuindo seu salário. Se vai para fila de preferencial no SUS, o atendente é lento e a fila não anda os jovem estão na fila, reclamam e não respeitam quem já passou por tanto sofrimento, uma senhora desmaiou e não acordou mais.Caramba, os jovem pensam mesmo como morcegos.

Varenka de Fátima Araújo


O homem do dominó

Um homem vive,  em seu viver  não é notado por seus semelhantes que já estão indiferentes ao sofrimentos e violência dos outros. Aquele homem que vive a duras penas, acorda muito cedo, passa seus dias matando o tempo, jogando dominó na calçada com outros. É certo que ele é confundido com outros com o mesmo rosto. O homem esta em contante desalinho, sem uma companheira, se alimenta mal e bebe muito. Sua educação deve ter sido boa, não xinga, fica na sua. Não deve sonhar, seu caminho está estagnado, digamos a espera do fim.

Varenka de Fátima Araújo

sábado, 19 de março de 2016

Páscoa

Páscoa

Não existe mais o bom coelho
Que põe ovo de páscoa
Do sol vermelho e das montanhas de ouro
Que chegam cacau com abundância
E das caldas sortidas em fábricas
Crianças com lábios de mel
Com chocolates se fartam
É o gozo de todos, quedarem nas lojas
Libertam ovos de chocolates das prateleiras
Do teto que caem em laços coloridos
Lembem da ressurreição de Jesus
Com todo este quadro.

Varenka de Fátima Araújo

sexta-feira, 18 de março de 2016

Era uma vez

Um cabra da peste que vivia com um bando
Fazia quem reclamava da comida engolir 1 kl de sal
Quando não tinha água, bebia mijo de cavalo
No meio no sertão não trocava roupa, vida dura
Não tinha hora de comer,vivia em eterna vigília
Cada um entrava no bando, tinha seu motivo
O cangaceiro foi também um homem destemido..

Apresentação de Varenka