Sejam bem vindos ao meu Blog

"O Artista se eleva pelo prazer da beleza dentro de sua criação."

Minha origem

Sei que amo. Conheço minha origem, respeito a mim mesma, tenho consciência da miscigenação e da minha cidadania.

Bahia de Todos os Santos

Moro na Bahia de Todos os Santos, abençoada por 365 igrejas, um legado deixado pelos Portugueses. No sincretismo religioso, o abraço com todas as religiões.Um povo que vibra sem intolerância religiosa.Tenho fé e amo meu povo!

terça-feira, 14 de novembro de 2017

Miniconto - Dentista

Ela gritava, está doendo.
- Não dói não, abra mais...
-Você amassa, machuca muito.
-Fique calada, já terminei.
- Aí, Doutor quanto tempo de repouso?
- Me passe o dinheiro, ponha gelo, já pode sapatear.....

Varenka de Fátima Araújo

terça-feira, 7 de novembro de 2017

Miniconto - praga

As criações do homem animal são poluir rios, queimadas, pragas de grilos, pernilongos, ratos. As leis, então: chineladas, sapatadas, venenos e, um grito matei.

Varenka de Fátima Araújo

domingo, 5 de novembro de 2017

Miniconto - Vernissagem tibum

Ela estava embonecada na vernissage da professora. Sentou em um banco estilo barroco com mais quatros artistas. Na mão uma taça de vinho, o banco tibum, todos no chão seco, só, ela  sangrando.


Varenka de Fátima Araújo

sexta-feira, 3 de novembro de 2017

No Mar

No mar
...pingos de chuva fazendo bolhas...molhando corpos no mar,
unhas cravadas nas costas...gemidos da sensação de prazer,
...que brindaram naquelas águas, ali, soltaram suas garras,
descobriram o libido um pelo outro...a água escorria abundante,
...ajudando os movimentos das posições...o mar é dos amantes
...em busca de novas aventuras do amor...sem preconceitos.
Varenka De Fátima Araújo

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Uma maçã em um corpo

.....uma porta tornou um quarto...de um súbito clarão,
pelos olhos deslizando o prazer...um corpo nu sem flores,
...uma maçã no umbigo...esperava uma mão e a voz em sussurros,
esperou, esperou...jogaram rosas amarelas em volta cravadas,
...os lábios ficou da cor pálida..foi uma encenação de um quadro.

Varenka de Fátima Araújo

quarta-feira, 25 de outubro de 2017

No Museu Geológico da Bahia.


Um Museu é sagrado, possui o dom divino! Aqui encontrei pedras preciosas, umas retiradas do solo da Bahia. a magia deste local é conhecer a origem de cada pedra. No caminho tem outras pedras, um granito pode ser uma salvação. Antes da vida, já existiam pedras. Cuidado pode ter uma pedra dentro de você. Sem, e não. 

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

KAMA

Lançamento do Livro KAMA em Salvador, dia 28 de outubro.
Convite de Ivan de Almeida Prezados autores,
é com imensa satisfação que comunicamos o lançamento da antologia Kama – Poemas e Contos Eróticos, em Salvador. O evento acontecerá no próximo dia 28 de outubro, a partir das 18h30, na Saladearte Cinema da Ufba, localizada na Av. Reitor Miguel Calmon, s/n. Vale do Canela. Ao lado das Faculdades de Educação e Administração, Pavilhão de Aulas do Canela – PAC.

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

IMORTAIS


Papai, tenho duas poesias nesta Coletânea "IMORTAIS", então, fiz etá poesia, lembrando do Senhor.

O meu pai não morreu
não subiu aos céus
não foi para baixo da terra
ele dorme eternamente
a sua fidelidade como pai
possibilitou-me virtudes
não ostentava bens matériais
a sua trilha era ser honrado
carregava o peso do mundo ao seus pés
reconheço, meu pai fez sua parte
sem tirar nenhum erro
meu pai continua enviando
vibrações iluminadas
meu pai foi cremado
em sonhos vejo
o homem que me deu a vida.
Varenka De Fátima Araújo

sábado, 14 de outubro de 2017

Cachoeira da trilha da Prainha - Itacaré

A trilha começa depois da praia da Ribeira em Itacaré, um terreno ora plano, ora de rochas, passa por
cachoeira, pontes, o verde comanda, ar puro,todo pomposo, flrora e fauna beijando o rosto, encantamentos que os olhos jamais esquecerão ao trilharem. Uma voz de locutor: " Olha a água pode levar você ".Enquanto, ela olhava o volume de água ao som do canto do pássaro.

Varenka de Fátima Araújo

Ecologia

No meio da trilha da prainha
Casa de pau
A palavra de um ecologista
Do seu pensamento
Uma arquitetura perfeita
Paus da própria mata
Para diluir o gosto
Dos passantes, turistas
Sufistas, que gozam os prazeres
De uma caminhada
O cooper é praticado
Para a saúde  agradecer.

Varenka de Fátima araújo

Baluarte da Paz


quarta-feira, 11 de outubro de 2017

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Bilhete de Vícto Manuel Guzmán

Cuando abro las ventanas de mi espíritu te busco y me pierdo en ese camino largo para llegar a ti. Pero existe un encanto especial y... no desisto.

domingo, 1 de outubro de 2017

Dança do Ventre




quinta-feira, 28 de setembro de 2017

Bilhete - Adeus

Foi muito chato
o nosso primeiro encontro
poucos aconteceram
logo, acenei um adeus.

Varenka de Fátima araújo

sábado, 23 de setembro de 2017

Carta para mamãe

Alô mamãe, Albanisa, Ziza
Estou de cabeça para baixo
Sua voz canta como o Bem-te- vi
Filha, bem te quero vê
Farrapadas palavras me arranham
Dos que zombam
Sou o reflexo do meu pai
Seguindo o som
Eu irei, mamãe.

Varenka de Fátima Araújo

segunda-feira, 11 de setembro de 2017


Cachoeira de Itacaré

Límpida água
Pedras desertas, subindo vai para outra praia
Descendo, águas que desaguam no mar dos sufistas
Não bastam às subidas, descidas, matas
Temendo o abismo do cano para atravessar
O espectro de Eurico " O Presbítero"
"Não olhe para o precrípicio".
Sim, eu sinto um mundo gentil.

Varenka de Fátima Araujo


Francisco Chagas de Araújo




quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Colagem em Vinil

O texto do Jornal Correio, Terça Feira, 13 de outubro de 2005 - Cidade baixa esquecida. " Ela é linda por todos os lados. Mas que pena, está precisando de muitos cuidados e reparos. No percurso da Orla, da Pedra Furada, até perto do Humaitá, às encostas estão precisando de proteção, a terra pode ceder e, soterrar várias casas. Nos Mares quando chove, o lugar vira rio. vem chegando o verão e, até agora não lembraram da cidade baixa.
Varenka de Fátima.

Que lástima, continua precisando de segurança, a Cidade Baixa, fica em Salvador. Tempos difíceis.

Como o Condor

Só pela arte
como o Condor
que sobe aos céus
em seu voo rasante
diz a todos
em seu canto
que é Poeta.

Varenka de Fátima Araújo

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Janela

Da janela
folhas trepidam
pássaros em voos rasantes
em um lugar imaginário
onde os gritos não soam
grandes passos de pessoas
grandes ausências sentidas
uma ré sem compromisso
um corpo beijou o asfalto
só resta agora eu triste
o maior mistério é a morte.

Varenka de Fátima Araújo