Sejam bem vindos ao meu Blog

"O Artista se eleva pelo prazer da beleza dentro de sua criação."

Minha origem

Sei que amo. Conheço minha origem, respeito a mim mesma, tenho consciência da miscigenação e da minha cidadania.

Bahia de Todos os Santos

Moro na Bahia de Todos os Santos, abençoada por 365 igrejas, um legado deixado pelos Portugueses. No sincretismo religioso, o abraço com todas as religiões.Um povo que vibra sem intolerância religiosa.Tenho fé e amo meu povo!

terça-feira, 9 de outubro de 2018

Texto de uma jovem escritora Olga Amazonas



Convido meus amigos para lerem.
Quando eu penso que as pessoas sobreviveram à ditadura militar no Brasil e ao governo de Fernando Collor, penso que é possível seguir vivendo. Faz parte da democracia aceitar o querer da maioria. Prefiro pensar que faz parte da história repetir o mesmo erro, já que nossas decisões ainda são tomadas com paixões, infelizmente. Portanto, faz parte da democracia que todos paguem pela escolha da maioria. A questão agora é seguir vivendo. Sinto prenúncio de tempos muito difíceis. O ano de 2019 será difícil para o planeta. Eu lamento muito pela vida humana e a nossa falta de consciência de unidade. No entanto, há que não se desesperar para poder seguir vivendo. Por mais que pareçam tempos tenebrosos, há que se confiar na evolução espiritual da humanidade no universo. Aos 28 anos de idade, é muito bom ter mais uma confirmação de que garantias não existem, principalmente de estabilidade política e social, eu, que nasci em uma democracia. Isso me fortalece só, e somente só, porque não tem outro caminho. Cada dia que passa, percebo que nos pedem resistência para viver. Ao contrário do que muitos pensam, é necessária muita maleabilidade para resistir, tal como a borracha sobrevive a grandes impactos sem alterar a sua forma. A vida pede resistência o tempo todo. E parece que não há outro caminho. Resistir para existir.

sexta-feira, 5 de outubro de 2018

Academia de Cultura da Bahia

A imagem pode conter: 1 pessoa

Novo visual com minha pelerine de Embaixadora

A imagem pode conter: 1 pessoa, close-up

domingo, 30 de setembro de 2018

Minha poesia selecionada no projeto Botão de Poesia

A imagem pode conter: texto

sábado, 29 de setembro de 2018

Novo tempo

Eu lastimo meus irmãos
Ter hoje o avanço na tecnologia
E a ciência em altos voos
Nas unhas dos gaviões
Que só é peixe grande
Manipulam em seu favor
Olha a desgraça ao redor
Solucei nesta tempestade
O mundo estar em risco.

Varenka de Fátima Araújo

segunda-feira, 24 de setembro de 2018

Era uma vez uma irmã

Mina irmã mais nova desde criança era diferente.
Meu pai murmurava baixinho ela precisa de todo cuidado, fizeram tudo por ela, todos tratamos com mimos e cuidados.
Ela gosta de remoer o passado, desafia, manipula para atingir seus objetivos.
Mas, decidi me afastar por ter de cuidar da minha fragilidade, acidentada quebrei o fêmur, operada estou me recuperando, tem sido um drama doloroso.
Fadila tem um olho grande, telefonou dia vinte e dois de  setembro, não para me oferecer rosas, mas, para pedir, o que já tinha dado, percebi a manobra, neguei, ela me ameaçou por telefone.
Famílias de hoje perderam o respeito pelos mais velhos, estão agindo como não fossem irmãos.

Varenka de Fátima Araújo

quarta-feira, 19 de setembro de 2018

Ave Maria

Mas eu sempre vigiando
ao pôr da tarde
olhos fechados serenos
mil e uma estrelinhas
piscavam como vaga lumes
subiam como foguetes
em suplica ao Senhor
perdoa meus pecados
mudei a oração
piedade para os tratantes
piedade para os que não sabem
para os traídores
dos cidadãos canalhas
como manda a tradição do brinquedo
de olhos abertos
uma nuvem pretinha
com ela se foi meu sorriso
ouvi Bach e sua " Ave Maria"

Varenka De Fátima Araújo

Para participar

BOA NOITE ARTISTAS PLÁSTICOS!!!
FAÇA A SUA INSCRIÇÃO PARA O ENCONTRO DOS ENCONTROS.
www.fundacaonbonelli.comA imagem pode conter: texto

segunda-feira, 17 de setembro de 2018

Novo modelo.

A imagem pode conter: Varenka De Fátima Araújo, óculos de sol

quinta-feira, 13 de setembro de 2018

Podem não

Podem negar tudo
como invasor venderem terras
nunca terão um pedaço do céu
nem morto uma listra terão
fitei o céu e meditei comigo
uma estrela brilhava como guia
mostrando tudo é de Deus
procurei o cruzeiro do sul
entre os retângulos da corda
fiz um sinal como proteção
roguei harmonia entre os homens

Varenka de Fátima Araújo

sábado, 8 de setembro de 2018

Primeiro passos com meu corpo.

Meu corpo pesava, mas que o habitual, minhas pernas zanzavam, com sol labuzando meu corpo, vestida de saia indiana, camiseta, sandálias rasteiras, fui dar ordem nas coisas, eu vi o Frajola de la Barca em uma cesta na calçada, tive saudades dos dias que me seguia, a casa branca estava como um monumento importante, falei com um amigo e, não tive resposta, não me ouviu. Segui demarcado meu espaço, encontrei com a Doutora Ruana me abraçou longamente, ela contribuiu muito no dia que fui acidentada, solta no ar proibido, sigo sem um pouquinho de medo.

Varenka De Fátima Araújo

sexta-feira, 31 de agosto de 2018

O tempo.

O tempo cura
no silêncio
na ausência
mergulha na fragilidade
como vidros partidos
ele tem razão
o sol marca
como o relógio
desafiando virando
ao avesso o invariável
na tela da rua
lentamente os segundos
apagam o sofrimento
da severa realidade.

Varenka de Fátima Araújo

quarta-feira, 29 de agosto de 2018

Cantinflas

Mario Moreno " Cantinflas"


Está no palco do Universo
O artista popular como "Cantinflas"
Da ribalta do México para o Mundo
Tiveste de raro, tua interpretação
Firme e forte com dureza
O público reagia com sorrisos
E, o Globo de Ouro foi teu, merecido
A tua natureza humana sem egoísmo
Talvez por teu caráter nobre
Às portas abriram por teu talento
Sustentando tua generosidade
Entraste para o Templo dos imortais

Varenka de Fátima Araújo
Nenhum texto alternativo automático disponível.

domingo, 26 de agosto de 2018

Dueto-Devoro

Rock Wolf El Brujo Mordo, devoro…
Cravo unhas e dentes
caindo na tua armadilha
se liberta só para mim…
Me deleito do teu gozo
que escorre e me alimenta
e transformo teus olhos
em rubis de incomparável valor.
Me solto na tua noite e ouve meu uivo
Na tua lua, me alimentarei de ti!

Isso se atreva com sua boca em mim!

Morde, me devora
Crave suas unhas e dentes
em minha pele da cor da neve
entre e penetre em meu paraíso
liberta estou para gozar
em jatos escorre e te alimento
meus olhos fitam tua alma
na noite ouço o teu uivo
minha boca molhada
passa em teu corpo como se fosse o meu
foi apenas um sonho.

Varenka

quarta-feira, 22 de agosto de 2018

Capa que farei parte do livro de Léa Lú

Projeto Léa Lú

terça-feira, 21 de agosto de 2018

Certificado

Nenhum texto alternativo automático disponível.

segunda-feira, 20 de agosto de 2018

Sensações

Sensações de apuros
no fundo do abismo
não chorarei, não chorei
antes devo pedir perdão
não quero o céu
não quero morrer
a vida que Deus me deu
que vale uma lembrança
meu momento é viver
lá se esconde um pouco de loucura
mais um gozo de um amor
que a face não mostra
cobrindo minha visão
erguendo deste turbilhão de escuro
calada ouvi o cântico
uma palavra de salvação.

Varenka De Fátima Araújo

O que vejo

O que vejo
homens no meio do caminho
velozes, possantes, intocáveis
à terra, o mar, podem sucumbirem
sem ofensas, sem direção
casos estranhos
da sábia história
o céu para, estrelas apagam
não haverá exposição
sobra o nada.

Varenka de Fátima Araújo

sábado, 18 de agosto de 2018

Pernas

Aqui embaixo da linha do Equador
mostrei com toda luta
muito mais que a cantora Madonna
não fiz plástica, dancei desenhando
com minhas pernas sem meias finas
não tenho sabença no canto
mas, no passo da dança estou
me superando sem delongas.

Varenka de Fátima Araújo
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e close-up

Café

O bule de café
no fogão
soprando a teste
um cheiro
outras coisas esquecidas

Varenka De Fátima Araújo

quarta-feira, 15 de agosto de 2018

PAZ

Pela paz


Criador do Universo
Recorro ao Senhor criador
Mostra aos ganancioso
Que geram miséria, escárnio
O caminho da paz
Acompanhando toda vida
Senhor, criador do Mundo
Para os materialistas, exibicionistas
Indica uma luz de fraternidade
No mundo do ódio das raças
De cores amarelas, negras, brancas, morenas
Mais união pela paz
Senhor criador, sei que tudo pode
Em seu nome, creio
Acene que cessem às guerras
Que o genocídio seja banido
Mande urgente PAZ
Obrigada senhor criador
Por existirem poetas da Paz.


Varenka de Fátima Araújo