quarta-feira, 20 de junho de 2012

Proibido poema


Lábios úmidos
vem no hálito do vento
na aurora resplandecente
rasgando, ferindo nuvens

Proibido poema
teus beijos dinâmicos imprimindo
em diversas formas de amar
envolvendo me com abastança

Beijos suaves nos atalhos do meu corpo
bordando com linhas de ações
vais adentrado machucando
invadindo me, fogacho e fluorescência

Varenka de Fátima  Araújo

Um comentário:

  1. Ardente e tocante poesia!
    Lindo teu espaço, vermelho-paixão!
    Beijoka*

    ResponderExcluir