Sejam bem vindos ao meu Blog

"O Artista se eleva pelo prazer da beleza dentro de sua criação."

Minha origem

Sei que amo. Conheço minha origem, respeito a mim mesma, tenho consciência da miscigenação e da minha cidadania.

Bahia de Todos os Santos

Moro na Bahia de Todos os Santos, abençoada por 365 igrejas, um legado deixado pelos Portugueses. No sincretismo religioso, o abraço com todas as religiões.Um povo que vibra sem intolerância religiosa.Tenho fé e amo meu povo!

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Wagner Américo Silva - O Poeta das Flores

Por muito grave que sejam os problemas, aquele que tem a mente sã, não deve abandonar a perseverança, para não ser adversário de si mesmo.
O Poeta das flores.

domingo, 15 de setembro de 2013

Deraldo Lima

Deraldo Lima
dono da Galeria 13
uma casa antiga
na rua do Gravatá
no Pelourinho
em Salvador
na sala do térreo
um quadro
do seu tamanho  nu
retratado por um artista
ficou imortal nesta tela
alvo de tanto espanto
curador de exposições
afável e agradável
também energico
exala bondade
um amigo amado
no seu espaço
passaram muitos
pintores, poetas
atores, músicos
passei e passarei
com estilos vários
meu bom amigo.

Varenka de Fátima Araújo








Feira de Livros (Feira de Santana - Bahia)





 Ora quer, porque quer ser escritor, divulgador
portanto não se limite, compartilhe, seja mais
Valdeck de Almeda de Jesus me telefona:
toma o risco, vamos de carro na estrada
entre a chuva  e o asfalto, a toda por hora
para a Feira de Livros em Feira de Santana
pela força da pitada, fomos sem medo
toma livro estudante, vendedor de latas
veteranos amigos, poetas,escritores
juntos com João Vanderlei,Carlos Souza
que o livro seja a nossa sina.

Varenka de Fátima Araújo



No facebook recebi minhas Xilogravuras

Oito horas da noite
no facebook uma visão colorida
xilogravuras que fiz em 1999
Ricardo Ottoni  jogou  na página inicial
meus olhos fixaram  no texto
foram feitas por mim, pedido de Ricardo
para o cartaz da peça de Jurema Penna
O bonequiro Vitalino, um consolo
se não tinha esta xilo em mão
eu sinto, eu sinto o impulso de vera-la
se minha criação, esta bem cuidada
no papel couchê cinza com tinta azul
numa parede opaca que é sua
do meu desejo, sinta a vontade.

Varenka de Fatima Araújo

pintora Varenka

Mais que um susto

Na rua
meu vizinho
coloca sua mão
no meu ombro
um susto

O coração
aos pulos
mas minha colega
fala apressada
você esta tremula

Nesta  época
não podemo vacilar
os loucos vagando
os meninos furtando
tememos o pior

Uma sequência
de desamor, roubos
enganos, mortes
prostituição e vencidos
tudo faz parte deste mundo

Varenka de Fátima Araújo







sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Bela Menina- autor Antonio Cesar Almeida

Poetisa, escritora, artista plástica, dançarina, figurinista, atriz, mulher, cearense.

Uma pequena burguesa de Gorki ou Aleksei?
Se mostra uma mulher valente, dócil, até ninfeta.
Sem estereótipo ou clichê.
Predicada.
Dedicada.
Livros e saraus.
Mil coisas por fazer.
Certamente muito amada.
Mas não sei quem és.
Carrega a verdade.
Nisso títulos por receber.
Mérito.
Brinca com a vida.
Séria quando deve ser.
Não sou mago nem profeta.
Falo o q o coração manda dizer.
Estranho...falar do desconhecido.
Somos todos iguais, mudam-se os conceitos.
Alguns gostam do preto, outros do lilás.
Falar de ti é equidistante.
Pouco igual.
Em verdade não sei como falar de vc.
Lembra uma cigana.
Sem filigranas.
Multifacetada.
Coisa de se vê.
Tomar um bom vinho e esquecer.
Por pouco ti conhecer - arrisco.
Risco como um lagarto que não podes perceber.
Gostaria de falar de Varenka.
Como prometi, fica uma imagem do q talvez não possa ser.
Ficam meus sinceros agradecimentos por tu haver.
Um dia quando ti conhecer, se me enganado.
Perdoe.
Não sou poeta, nem artista, acho tudo uma besteira;
menos o amanhecer.


Coração

Coração ferido
sangrando
magoado
dilacerando
ser livre
sem dor
esvaziei
ficou incolor
perdoei
liberta
se for preciso
esvaziar
sem deixar requício
para o futuro
coração leve
perdoei para amar




Varenka de Fátima Araújo

Grita, meu irmão

Como te perder em manhã de grito
Tanta vida, tanto sonho num silêncio
Cospe, mas grita com  dor e que faça ecos
Perde o melhor sem partilhar,grita
Reconhece as limitações e grita
Grita antes do sangue jorrar

Perdão se nunca me entendeste,perdoa
Teu grito seria atendido, grita,grita
Nenhum dia ouvi teu grito, lamento triste
No meio de tanto amor perder a própria vida
Grita para que no último momento, seja tarde
Perdendo a respiração e silenciando o coração.


Varenka de Fátima

quinta-feira, 12 de setembro de 2013

O que sempre fui

Amo o pobre
não comungo com o soberbo
vivo como uma leoa
tenho poucos amigos
sem fome sou boazinha
faço poesia e não sou poetisa
digo muita sem nexo
não vou dar volta ao mundo
tenho os pés ficado no chão
tenho vontade de mudar
luto contra a injustiça
fico irada com os que tiram
os nossos direitos conquistados
pancadaria suportei
ainda tenho meu escudo
neste momento conturbado
onde reina a insanidade
não faço grossas vistas
das mil vontades dos poderosos
que a lei seja cumprida, justiça
nesta dupla mão
sigo na ninha, sozinha
não sou uma viagem
um dia serei ossos
que adobarão a terra.

Varenka de Fátima



terça-feira, 10 de setembro de 2013

Analfabeto não tem cargo,não



João de Araújo deixou para traz Alagoas
Com sua esposa Maria Rosa (Mãe Joda)
Ela em cima do burrinho, mata fechada
João,Pai João quilômetros a pé
Avistam Juazeiro do Padim Pe.Cicero
Onde fixaram residência por toda vida

Destemido e honrado João de Araújo
De volta para casa foi avisado
Os homens fora da lei, cercaram tua casa
Ele andava armado e mandou bala
Foi homem para todos os lados
O Pe.Cicero mandou chamar João

E ordenou:”Aqui não tem delegado,
Agora João de Araújo é o delegado de Juazeiro.”
- Pai João balançou a cabeça, posso não, Padim
Não sei ler,só assino com o dedo,não estudei
O cargo Pai João perdeu,tanta valentia.....
Hoje sua quarta geração tem médico,advogado

João de Araújo e Maria Rosa, pais de Aurora
Minha avó que casou com Isidero
Tiveram um filho Francisco Chagas de Araújo
Meu pai,intelectual que deixou como herança
Muitos livros,seus rascunhos e contou
História do meu bisavó para toda geração.

Quem não tem estudo fica cego.
Mas hoje, até os cegos estudam.



Varenka de Fátima Araújo

CRESCER

Uma alma pura de poeta me chama
Assim, agora crescer
Respiro, agora vamos
O poeta modesto
Leva sua escrita
Assim, agora crescer
Há de crescer
Antes que este poeta siga
Me rendo nesta noite
Testemunha da dor

Varenka de fatima Araújo

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Black Titude



Vestida de azul,Mãe Stella de Oxóssi vai ser Membro da Academia de Letras.

Xilogravura









Ricardo Ottoni Vaz Japiassu Varenka De Fátima Araújo a xilo foi-lhe encomendada para ilustrar o cartaz de O bonequeiro Vitalino - auto de Natal da lavra de Jurema Penna - que encenei em Salvador e Tx. de Freitas com escolares da rede pública de ensino. Vc capturou na ilustração os marcos do teatro de cordel (teatralização das narrativas da Literatura de cordel). Lamentavelmente as limitadas verbas p atividade artistica na escolarização não permitiram jamais a impressão do cartaz. Fizemos a nossa parte.

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

O Poeta das Flores

  Nem sempre o sentir das lágrimas rolam pelas faces é demonstração de sofrimento,vezes que são de
alegria, vezes que o não chorar, não demonstra as preocupações.
Flor n. 10.379 que me foi ofertada pelo Poeta das Flores - Wagner Américo Silva com 89 anos.

Eu e você

Quem sou eu, neste momento,

a  explorar você?

Quem é você, neste momento,

 sendo explorada?

Que lugar é este,

 explorado por mim?

Que lugar é este, deixado ser,

 totalmente, explorado?

Sinto gosto de ardor, cheiro desejo,

 nesta flor.

Arrepios e calafrios transformados

 em espasmos.

Espasmos de tesão transformados

 em orgasmos.

Amém
Marcos Toledo
Escritor e poeta
Quem és tu, neste momento

 a me explorar?

Sou eu,neste momento

 sendo explorada.

Um lugar diferente,

 explorado por ti.

Que lugar é este,deixa ser

  todo,explorado?

Sentes meu gosto,cheio de prazer,

  nesta flor.

Arrepios e frios,transformados

   em espasmos.

Espasmos de tesão,transformados

  em orgasmos.

Varenka de Fátima Araújo

Amigos no jardim

Neste poema eu ofereço
uma flor, que nasceu
num tempo, num espaço
num poema que foi meu

foi escrito com as palavras
que encontrei por magia
neste jardim de lindas prosas
onde reina a poesia

rimas simples na construção
estas palavras do dia a dia
que juntei com o coração

as reguei com a alegria
que em teu olhar encontrei
e em amizade as transformei

Carlos D

Neste meu poema te ofereço
uma flor foi cuidada e nasceu
com palavras, num espaço
num poema que foi só meu

escrito com tantas palavras
que encontrei pela magia
neste jardim de belas prosas
reinando apenas a poesia

rimas singelas na construção
palavras ditas no dia a dia
que formei no meu coração

regadas com tanta alegria
teu olhar no meu,encontrei
em amizade transformada

Varenka de Fátima Araújo