sexta-feira, 30 de março de 2012

Quero letras azuis

Sobre as pedras que dançam
em cores vermelhas,cinzas,pretas
uma pedra solta fria e sigo
sinto o salto da morte,nada acontece
o cemitério não é o melhor lugar
nem a praça com a cabeça do homem na caixa
nem a calçada borrifada com letras de sangue
nem o homem que engole o vento
nem as meninas amam como ontem
os meninos sem entenderem o amor
segui sem rumo,talvez amanhã cuspirei letras
que tenham o azul do mar.

Varenka de Fátima Araújo

quarta-feira, 28 de março de 2012

Eu sou Varenka


Poema Declamado por ARLETE PIEDADE
Direto de RAIZOLINE - PORTUGAL
Uma surpersa ,um presente que amei....



Elena Sahno,loirinha da Rússia
Que veio para minha alegria
Para confirmar o que no intimo já sentia
Eu sei que existem varias dentro de mim

Sou o sopro que alimenta o vento
Sou a purificação de Bárbara
Numa mão trago a espada
Na outra mão muita coragem

Eu sou Varenka que vem de Varvára
Com carinho abro caminho
Varvara é Santa Bárbara,aqui
Santa Bárbara é Sviataria Varvára
na religião ortodoxa
Eu sou Varenka de....

O meu nome Barabara e Fátima
Sou protegida por Santas
Por ordem divina foi colocado
Nossa Senhora de Fátima
A aurora no meu caminho
O amor como pedido de paz

Sou descendente de um Araújo
Destemida sigo em frenete
Eu sou o amor...Eu sou amor..
O meu coração com amor triunfará
Aqui fica o meu nome
Varenka de Fátima Araújo


Poema de Varenka de Fátima Araújo

terça-feira, 27 de março de 2012

Vermelho e Branco no Preto

Fundo preto, pretinho
Profundo, ressalta...
Dominante

Vermelho excitante...
O excesso de luz ofusca
Intensa e às vezes agressiva,
Aquece e não tem saída
Fixa com facilidade
Menina exuberante!
Sobressai no preto
Parindo um poema de amor

Branco, luz brilhante...
Segurança, confiança
Enobrece e aquieta.
Menina virgem!
Solta tuas garras
suavemente no preto
Sorri tranqüila com um poema
Nova Paz!

Varenka de Fátima Araújo. 

domingo, 25 de março de 2012

Veladuras

Fechada estou
nunca se prende um amor
mentira, mentiras...

Há um contraste
a outra em silencio
estou solta vigorosa
lanço veladuras
pincelada contornando
meu coração sem amor.

Varenka de Fátima 

Sou uma pecadora


O meu olhar fixo na linha reta
em todos os pontos via aquele rosto
que perdera sua expressão sorridente
com sua voz desafinada ,me expulsou
um ego envaidecido ou um ego doente
bateu a porta,senti seu furor, tremia

O mundo girava segurei minha cabeça
sou uma perdedora,sou uma perdedora
tantas vezes perdi,sou pecadora convicta
o rapaz me presenteia com um certificado
na certeza que seguirei com às letras
sou uma perdedora ,sou uma pecadora

Varenka de Fátima Araújo

Deslumbrada


Beleza é esta na praça caíru
Tem o elevador Lacerda subindo e descendo
Do alto vejo a cidade baixa e o mar
Descendo para o Mercado Modelo
Tem capoeira, samba de roda, roupas...
Roupas vistosas para todos os tipos
No mar os barquinhos ancorados em águas límpidas
Aqui na cidade baixa no mesmo nível do mar
Quem tem fé segue a pé para a Igreja do Bomfim
Deslumbrada por esta terra
Vem festejar em Salvador Bahia 

Varenka de Fátima Araújo

Um olhar no Espelho


Um olhar no Espelho 



O espelho não me engana
Estou perplexa com minha imagem
Estou dividida entre...
O tempo e o sorriso
Estou vencendo nas marcas

Frágil espelho
A história não marcara
Quantas vezes morri
Não, não vou lembrar
Não se lembra do momento
Não, não se explica

Varvará cuidado com o espelho!
Mostra visão de artista
Um ser que se move para o sucesso!
Perdida e fugaz ilusão
Recompõe teu corpo
O silêncio bane...
Cuidado com o espelho!

Varenka de Fátima Araújo

sexta-feira, 23 de março de 2012

Porque te amo

Porque te amo 

Pulsa meu coração forte sem preconceito
Quando de longe sinto o perfume excitante
E meus olhos avidos, vislumbram teu peito
Se me amas não censure,favor não me afaste
Como poderei vivir tão triste sem teu querer
E a minha alma sucumbirá sem teus afagos
Sei do teu amor, vem com todo frescor e poder
Tempo favorece, partilhamos nosso desejos
Abraçarei teu corpo na nudez sem culpa 
Com todo ardor, meu corpo desnudo em gozos 
Porque na entrega não existe dor desculpa
Apenas o sentir dos corpos belos unidos

Porque te amo, apenas tu sabes do nosso amor
Nada importa, se não existe o nosso amor.

Varenka de Fátima Araújo

Caminhos


Fui andando pelo mesmo caminho
Que estava coberto por tantas flores
Voltei passando na mesma estrada
Era primavera cheia de orquideas

Nesta vida temos que saber viver
Para não sofrermos tantas derrotas
Temos que crescer com dignidade
E podermos na passagem triunfar

Contando com uma certa paciência
Temos que aceitar um tal consenso
Muitas vezes temos que ser calmos

Somos como os pássaros subindo
Passando o tempo vamos sucumbindo
Esse é o percurso da humanidade

Varenka

Deixa que te ame


Deixa que te ame

Deixa que eu te toque  suavemente
Deixa que os devaneios nos envolvam
Deixa que te ame loucamente
Deixa que eu seja somente amante

Deixa que meus sussurros levem só amor
Deixa que eu fique despida,meu amor
Deixa que te encontre entre êxtase e prazer
Deixa-me saciar este desejo

Deixa que te ame de alma nova
Deixa que as correntes nos prendam
Deixa que nossos corpos fiquem entrelaçados
Deixa que os nossos corações palpitem de tanto amor

Varenka de Fátima Araújo


Última Cartada

Última Cartada 

Minha vida pegou carona no teu canto
Desenhei um caminho de glória para ti
Brincaste com a sorte , não fez soar teu canto
Tuas letras vermelhas lamento, dores em ti
Vestiste uma blusa e calça azul anil, lindo
Eu sei que agarravas a última cartada
Tua voz em sussurros," veja estou me indo"
Fico lembrando da tua passagem esquecida
Minhas lágrimas secaram, já não me iludo
Mas a tua voz doí no coração por toda vida
O teu rosto pálido sem sangue ficou retido
Meu tormento sufocado pela estrada batida

Estas e tantas lembranças já passado,aqui
Ficaste gravado,jamais esquecido,aqui

Varenka de Fátima Araújo

Aquele Amor Vive


Aquele Amor Vive

Aquele amor ainda vive perdidamente
Reacende este amor com teu sorriso atrevido
Não queria entalhar teu amor pedinte
Ficou esculpido as letras no peito vestido
Como hei de arranca-lo, tu fincaste
Minha pompa desceu teu desenho fincado
Trago tuas quatro letras em escarlate
Rompendo as fronteiras do corpo ilimitado
É sempre assim, o amor em escala crescente
Enquanto tiro a roupa, mas sem remorso
Teu amor devastador no pensamento sente
Traga teu coração, guardarei a mil,preso

Na prosa e no verso este amor insiste
Sinto em todos momentos este amor persiste.

Varenka de Fátima Araújo

segunda-feira, 19 de março de 2012

Deixa que te ame

Deixa que eu te toque  suavemente
Deixa que os devaneios nos envolvam
Deixa que te ame loucamente
Deixa que eu seja somente amante

Deixa que meus sussurros levem só amor
Deixa que eu fique despida,meu amor
Deixa que te encontre entre êxtase e prazer
Deixa-me saciar este desejo

Deixa que te ame de alma nova
Deixa que as correntes nos prendam
Deixa que nossos corpos fiquem entrelaçados
Deixa que os nossos corações palpitem de tanto amor

Varenka de Fátima Araújo

Varenka

Oculos

Hoje marcante berrante
Hasta colorida grossa
Lente em degrade da cor
Não vemos sem o enfeito

Para perto ler poema
Para longe apreciar
Namorar vai atrapalha
Na cama tem de tirá-lo

Fundo de garrafa,mudar
Lente normal charmosa
Para ficar uma beleza

Agora com lente preta
Pode esconder o olhar
Ah,enganar todo besta


Varenka de Fátima Araújo


 P.S.. Soneto com oito sílabas (1599)

sábado, 17 de março de 2012

Pincelei um corpo

Pincelei um corpo com a cor vermelha
Para que ficasse com movimentos
Dando impulso enérgetico
Em busca de sucesso

Pincelei um corpo com a cor azul
Para que esse corpo ficasse calmo
Mais sensível e cordial
Para ser um amigo leal

Pincelei um corpo com a cor verde
Para que ficasse eqilibrado
E sua inteligência brilhasse
Sendo rodeado de amigos

Pincelei um corpo de amarelo
Para que ficasse com desejo do novo
Repleto de novas perspectivas
Soltando sua criatividade
Comandando nas artes

Varenka de Fátima Araújo

Beijo

Ha vários tipos de beijos
Um selinho,toque de leve
Não sentimos pela leveza
Pode ser um rápido beijo

Aquele beijo, verdadeiro
O que fechamos os olhos
Porfundo sentir sem olhar
Marcado por ser autêntico

Uma sensação de vertigem
Só quem beija pode sentir
O mundo gira velozmente

Tem o beijo da falsidade
Um gesto de deslealdade
Destrói por ser traiçoeiro

Varenka de Fátima Araújo

Meu sorriso

Ai que vida que adoro!
Meu sorriso vai para ti...
Retorna para mim...meu sorriso
Nem as mil agulhas que recebi
Não apagaram o meu sorriso
Este sorriso em tela imortal

Sim,a foto...Que foto?
Aqui,olha para a foto
Varvára é impressionante
Teu sorriso o mesmo
Um som crecente,alegria!
Contagia quem está por perto

A leitura da lente falha
Não,não,nem sempre
Uma escrita do momento que fica
O registro para toda vida
Bem feito fica para posteridade
Não tenha medo do tempo,uma foto

Ai, que vida que adoro!
Vivo bailando no compasso...
Do ponteiro do relógio
Vivo sorrindo para o tempo
Vivo sorrindo, meche com tudo
Ai,vida como quero que dure...

Varenka de Fátima Araújo

sexta-feira, 16 de março de 2012

Último sopro

Um sopro de vida  aspecto enganador
Teu nome apagado em sons da natureza
Teu peito enche na melhora em teu desfavor
Na tua cabeceira a mentirosa beleza
Ela vergonhosa, insensata ao teu ouvido
Mulher vil foi tua sentença no desfecho
Não,não por Deus não queria ter presentido
Mas, ela foi tua maldita perdição no fecho
Não era o tibre da tua voz outrora tido
Era tua voz sem ecos no silêncio sentia
O único mortal silenciando sem vê-la,lido
Olhos opacos cerrados no suspiro sentia.

Meus olhos vertiam lágirmas tão sentidas
Ainda ouço teu voz cantigas bem sentidas

Varenka de Fátima Araújo

Aquele amor vive

Aquele amor ainda vive perdidamente
Reacende este amor com teu sorriso atrevido
Não queria entalhar teu amor pedinte
Ficou esculpido as letras no peito vestido
Como hei de arranca-lo, tu fincaste
Minha pompa desceu teu desenho fincado
Trago tuas quatro letras em escarlate
Rompendo as fronteiras do corpo ilimitado
É sempre assim, o amor em escala crescente
Enquanto tiro a roupa, mas sem remorso
Teu amor devastador no pensamento sente
Traga teu coração, guardarei a mil,preso

Na prosa e no verso este amor insiste
Sinto em todos momentos este amor persiste.

Varenka de Fátima Araújo

Na pele

Na pele do papel
o azul,vermelho
amarelo,marom,branco
representar uma pele
o vermelho e o azul
transpira sangue.
Ha um encanto na vida
sincronizar com a paz

Varenka de Fátima Arújoújo

quarta-feira, 14 de março de 2012

Melhor idade

As pessoas na sua trajetória
Vivem para o amor
Para semear a mãe terra
Os filhos seguem seu caminho
Como manda a natureza
Para glorificar os antepassados

A ferro e fogo os que lutam
A quem chegue a glória
A juventude, força da nação
A velhice o respeito e sabedoria
Sem prantos, nem dores e rancores
Viver a melhor idade

Nunca deixe que os outros...
Percebam que estás a fraquejar
Algum repouso, emfim, para prosseguir...
Declamas teus vários casos em versos
Canta com melodia sonora os amores
Com letras que perdurem por toda vida

Que os imprudentes
estes não chegam a lugar nenhum
Quem fica parado é poste
Com tuas poesias embalem os enamorados
Jamais serás jogado ao relento
Que está vivo de cabelos branco e uma dádiva.

Varenka de Fátima Araújo

O que quero

Este teu olhar penetrante
Esta tua boca que me alcança
Fico toda enfeitiçada
Totalmente doidivana,me expõe

Espero teu entrar e sair
E teu mel para ser sugado
Por mais que estejas longe
Este detalhe não importa.

Avança...Ignora os olhares...
Ignora as palavras,vem no cio
Para te devorar e saborear
Como uma leoa faminta.


Varenka de Fátima Araújo

Sonho

Varro dos meus sonhos
As lembranças negativas que você marcou
Agora, sonho nos sonhos coloridos
Entre jardins de rosas perfumadas
Em campos verdes em degrade do verde
Com árvores que dão frutos afrodisíaco
Os pássaros que ofuscam,inspirados:
sabiás,pardais e rouxinóis
Anunciam um grande amor
Que vem de longe pra mim
Que tem um beijo doce
Entre o mar e o céu com manjar do amor
Nesta entre linhas fica firmado
Um grande amor ardente
Nos tons de rosa e vermelho vou enfeitar nosso ninho
Oh! Meu Orfeu me conduz com o teu amor
Para em baixo dos lençóis coloridos
No deleite do nosso amor

Varenka de Fátima Araújo

Amor eterno

Que lindo são teus olhos
Eles ficam a me olhar
E eu fico a suspirar
Querendo te namorar

Que bonito são teus lábios
A sussurra palavras de amor
Eu fico com um doce afável prazer
Querendo te beijar

Que bonitas são tuas mãos
Que adejam no ar feito pássaros vivos
Com seus talentos múltiplos
Que me fez sentir sensações agradáveis

Que bonito é o teu amor
Amor perfeito
Que eu sempre sonhei
Amor, amor eterno

Varenka de Fátima Araújo

terça-feira, 13 de março de 2012

Com a palavra a mascara

Uma máscara...palavras
Dimensões de corpos
Em musicalidade de sons
Corpo em corpo em continuação
Mascarando a palavra
Atingindo um corpo
Inflama.....
Emoções intensas
Sentidas nas entranhas
Máscara...uma palavra
Num gesto em movimento
Palavras entrecortadas
Palavras recebidas
Em forma de máscara
Mostrada no ambiente
Máscaras que traduzem palavras
Em cada romance
Máscaras que choram palavras de amor

Varenka de fátima Araújo

SETE PECADOS CAPITAIS




Não deixar-se levar pelo brilho mudando
A nutri-se de beleza vil e do ilusório triunfo
Tudo é fugaz, ficam as boas ações

Não querer se apossar dos pertences dos outros
Não ter um olhar  maléfico
Mas, um olhar de contemplação

Não semear loucuras, lembranças odiosas
Em entroncamentos com o mal e odiento
Sabeis que envenenam o Ser

Não deixar os projetos de vida esmorecidos
Nem ficar parado pensando que vais enriquecer
O livro da vida jamais esquecido

Não guardar tesouros no baú
Com avidez poupando em absoluto poções
Na entrega total dizendo "não e não"

Não ingerir com excesso as boas iguarias
Ser moderado, para o bem  da saúde
Agradecer de A à Z o teu sustento

Da avidez profana na boca, uns homens
Do engano tantas desditas aos outros
Da luxuria faz, não é igual homens

Varenka de Fátima Araújo

segunda-feira, 12 de março de 2012

Beata Maria de Araújo

Ò alma pura, votos de castidade
Fizeste o bem, de repente sofrendo
Na correria foste levada, verdade
Encurralada no Crato, enfermidade

Para surpresa, rasparam tua cabeça
Maus tratos ante um abismo rasgado
Para e fica...  Sem resposta na cabeça
Mas confirmavas o milagre sagrado

Ficaste reclusa sem hábito, doendo
O tormento desfalecido, definhavas
Eles prosseguem com golpes sem dó

Perdoa Deus, mas defendo a beata
Na desavença desta vida marti
O povo conclama a Santa beata

Varenka de Fátima Araújo

sexta-feira, 9 de março de 2012

Entre linhas e linhas

Linhas cosem saltitando os pespontos da vida
Linhas justapostas que marcam uma aparência
Linhas brancas que juntam paginas dos livros
Sou uma linha inconstante da vida....

Segue, segue, linha branca constante,sem rasto
Obrigatória em lugares e presente no mundo
O mistério da linha preta, pode ser desvendado
Então respeite o que é forte e poderoso

Lá vem a linha amarela genuinamente rica
Muito satisfatória em busca de valores
E a linha azul ciano com força e obstinação
O amor eterno um crescente querer de todos

A deslumbrante linha vermelha magenta
Brilha incandescentemente, apaixonante
No degrade do verde uma calmaria
Sou uma linha inconstante da vida

Varenka de Fátima Araújo

Vim para amar

Indubitável noturno busco o amor
Mas sei que estou a deambular
Eu sei que o amor. Será o começo
Nesta fenda que abre para o mundo

Se para vida é amor, sou amor
Viva só para o amor, quimera
Matizes de vermelho, rosas deslizam
Jorram ardentes chamas de viver

Sou um coração que pulsa com amor
Em rajadas lanço labaredas e sulcos de amor
Viemos para o amor, aprender amar, ser o amor
Mistério desvendado, vim para amar

Varenka de Fátima Araújo

La vem ele

Nesta soledade
Solente,vem estrela maior
Lá vem o sol excelso
Vibrante luz,vida

Enlaça-me no calor
Adentra lado masculino
Deusa sou,Deus do fogo
Neste hibernal chega suave
Preferencial na matinal
Preciosidade na derme
Em serigrafia no meu corpo
Uma pressão perfeita
Fico remansosa,amo-te.
Sou a outra parte,fogo.


Varenka de Fátima Araújo

segunda-feira, 5 de março de 2012

O gozo

Gozo,onde mora o gozo,amigo...
Na parte onde o céu treme..onde?

Olho na sombra do volume..doidivana
O ponteagudo sensual...o gozo

Penetra..treme quanta vezes?
Não deixe o gozo morrer...

O gozo...o gozo...não se perde em vezes
O gozo meu amigo alimenta o corpo...

Varenka de fátima Araújo


sexta-feira, 2 de março de 2012

Cartazes da Livraria Varal do Brasil para o Salão de Genebra‏

Mulher,mulher, mulher

Que posto mais alto foi dado
Por quantas qualidades vista nelas
Nos fortes corações, na grande luta
Que mostram resignação
Ao serem mãe, filha e esposa.

Ainda abraçam as causas trabalhistas
Ainda buscam altos postos na política
Debatem e se fortalecem contra injustiças medievais
Afeiçoadas as suas intuições e emoções
Permanecem juntas contra as investidas
Altamente dói perder suas causas.

Em praticas diferentes
Agora pelos humildes caminhos
Agora defendem seus direitos
Agora com suas tarefas múltiplas
O desejo demudar o mundo
Oh! Mulheres amorosas!
Oh! Mulheres corajosas!
Oh! Mulheres valorosas!